Translação (relíquia)

http://pt.dbpedia.org/resource/Translação_(relíquia)

No cristianismo, translação ou traslação é a remoção de objetos santos de uma localidade para uma outra, geralmente de maior status; geralmente, apenas a movimentação de restos do corpo de um santo recebem um tratamento mais formal, ao passo que relíquias secundárias - objetos pessoais e roupas - são tratados com menos cerimônia. Translações podem ser acompanhadas por ritos variados, como vigílias pela madrugada e procissões atravessando a comunidade.
Translação (relíquia) 
Corpo é roubado em Alexandria por comerciantes venezianos e transportado em segredo. 
Veneração pelos magistrados venezianos já em Veneza 
vertical 
Mosaicos na fachada da Basílica de São Marcos, em Veneza, onde o corpo está atualmente. 
Translação do corpo de São Marcos de Alexandria a Veneza 
Venice - St. Mark's Basilica – Lunetta 03.jpg 
St Mark venerated by Venetian magistrates St Mark's Basilica n01.jpg 
xsd:integer 300 
No cristianismo, translação ou traslação é a remoção de objetos santos de uma localidade para uma outra, geralmente de maior status; geralmente, apenas a movimentação de restos do corpo de um santo recebem um tratamento mais formal, ao passo que relíquias secundárias - objetos pessoais e roupas - são tratados com menos cerimônia. Translações podem ser acompanhadas por ritos variados, como vigílias pela madrugada e procissões atravessando a comunidade. A translação solene (em latim: translatio) de relíquias não é considerada como um reconhecimento externo de santidade; são os milagres confirmados que nos permitem reconhecê-la. A partir do século XII, a Santa Sé tentou tonar a santificação um processo "oficial" e muitas coleções de milagres foram escritas na esperança de obter a prova do status de diversos santos. No início da Idade Média, porém, a translação solene marcava o momento a partir do qual, depois de reconhecidos os milagres, a relíquia era movimentada por ordem de um bispo ou abade para uma posição mais proeminente em uma determinada igreja. A veneração no local passava então permitida. Este processo é conhecido como "canonização local". A data da translação das relíquias de um santo era celebrada como um dia festivo por si só. Por exemplo, na ortodoxia, em 27 de janeiro celebra-se a translação das relíquias de São João Crisóstomo da vila armênia de Comana (onde ele morreu exilado em 407) para Constantinopla. Porém, é muito mais comum que se celebre como dia festivo o "dies natales", a data de sua morte terrena e nascimento celeste. Relíquias por vezes viajavam longas distâncias. As de São Tirso (Thyrsus) em Sozópolis, na Ásia Menor, foram levadas a Constantinopla e de lá foram para a Espanha. Daí em diante, seu culto ganhou grande popularidade na península Ibérica, onde ele é conhecido como "San Tirso". Algumas de suas relíquias foram levadas à França e ele tornou-se o santo titular da Catedral de Sisteron, nos Basses Alpes, cujo nome oficial é "Cathédrale Notre Dame et Saint Thyrse", e padroeiro de Sisteron. Um outro exemplo é Libório de Le Mans, que tornou-se o padroeiro de Paderborn, na Alemanha, depois que suas relíquias foram transferidas para lá em 836. 
xsd:nonNegativeInteger 155 
xsd:integer 4440157 
xsd:nonNegativeInteger 16693 
xsd:integer 43515886 

data from the linked data cloud