Toxic

http://pt.dbpedia.org/resource/Toxic an entity of type: Thing

"Toxic" é uma canção da artista musical estadunidense Britney Spears, contida em seu quarto álbum de estúdio In The Zone (2003). Foi composta e produzida pela dupla sueca Bloodshy & Avant, com escrita adicional por Cathy Dennis e Henrik Jonback. A sua gravação ocorreu em 2003 nos estúdios Murlyn Studios em Estocolmo e Record Plant Studios em Hollywood, Califórnia. Inicialmente oferecida a Kylie Minogue, foi selecionada pela própria cantora para servir como foco de promoção do disco, depois de escolher entre "(I Got That) Boom Boom" e "Outrageous". A faixa foi enviada para estações de rádio estadunidenses em 13 de janeiro de 2004, servindo como o segundo single do projeto. Mais tarde, foi comercializada em formato digital e físico.
Toxic 
Britney Spears - Toxic .ogg 
Christian Karlsson, Pontus Winnberg, Cathy Dennis, Henrik Jonback 
"Toxic" é composta em Mi ♭ maior e é uma canção dance-pop com elementos dominantes de electro-pop. 
CD single, disco de vinil, download digital, DVD single 
Dance-pop 
BS Toxic.png 
Toxic 
direita 
"Toxic" 
"Everytime" 
"Me Against the Music" 
xsd:integer 2003 
Murlyn Studios 
"Toxic" é uma canção da artista musical estadunidense Britney Spears, contida em seu quarto álbum de estúdio In The Zone (2003). Foi composta e produzida pela dupla sueca Bloodshy & Avant, com escrita adicional por Cathy Dennis e Henrik Jonback. A sua gravação ocorreu em 2003 nos estúdios Murlyn Studios em Estocolmo e Record Plant Studios em Hollywood, Califórnia. Inicialmente oferecida a Kylie Minogue, foi selecionada pela própria cantora para servir como foco de promoção do disco, depois de escolher entre "(I Got That) Boom Boom" e "Outrageous". A faixa foi enviada para estações de rádio estadunidenses em 13 de janeiro de 2004, servindo como o segundo single do projeto. Mais tarde, foi comercializada em formato digital e físico. Musicalmente, "Toxic" é uma obra dance-pop com influências do electropop e da música bhangra, e apresenta instrumentação variada, como bateria, sintetizadores e guitarras de surf. É acompanhada por cordas agudas de Bollywood e vocais sussurrados. Liricamente, trata sobre estar viciada a um amante. A faixa recebeu aclamação universal da mídia especializada, a qual prezou sua produção, com resenhadores definindo-a como o destaque de In the Zone. "Toxic" obteve êxito comercial, liderando as tabelas musicais de países como Austrália, Canadá, Irlanda e Reino Unido, enquanto classificou-se nas dez melhores posições na maioria das tabelas em que entrou, como Áustria, Bélgica, Estados Unidos e Nova Zelândia. Nos Estados Unidos, tornou-se a primeira canção de Spears a qualificar-se nas dez primeiras colocações da Billboard Hot 100 em cerca de quatro anos. O vídeo musical correspondente foi dirigido por Joseph Kahn e estreou em 13 de janeiro de 2004 durante o especial Making the Video. Apresentando referências a Blade Runner, The Seven Year Itch, Alias e aos filmes de John Woo, a produção apresenta um tema de espionagem e retrata Spears como uma agente secreta em busca de um frasco com um líquido verde. Depois de roubá-lo, ela entra em um apartamento e envenena seu namorado infiel. Ao longo da trama, são intercaladas cenas da artista nua, coberta de diamantes em seu corpo. Após o incidente com Janet Jackson no Super Bowl XXXVIII, o vídeo foi considerado explícito pela MTV e foi movido para a programação de fim-de-noite. Spears apresentou "Toxic" em uma série de apresentações ao vivo, como nos NRJ Music Awards e no concerto especial Britney Spears: In the Zone, transmitido pela ABC em 17 de dezembro de 2007. Ela inclui-a no repertório das turnês The Onyx Hotel Tour (2004), The Circus Starring Britney Spears (2009), Femme Fatale Tour (2011), além de apresenta-la no concerto residencial Britney: Piece of Me (2013-15), feito no cassino Planet Hollywood, situado em Las Vegas, Nevada. A faixa foi regravada por uma série de artistas após o seu lançamento, como Mark Ronson, A Static Lullaby, Reece Mastin e Ingrid Michaelson, bem como pelo elenco da série musical televisiva Glee. "Toxic" rendeu a Britney seu primeiro Grammy Award, na categoria de Best Dance Recording e foi definida como uma das melhores músicas da década de 2000 em listas feitas pela Pitchfork Media, NME e Rolling Stone, sendo notada por Amy Schriefer, da NPR, como a definição do dance-pop da década de 2000. Em 2010, Spears nomeou "Toxic" como a canção favorita de sua carreira. 
xsd:nonNegativeInteger 143 
Toxic 
xsd:integer 335506 
xsd:nonNegativeInteger 33931 
xsd:integer 44907469 

data from the linked data cloud