Toda Aznares

http://pt.dbpedia.org/resource/Toda_Aznares an entity of type: Thing

Toda Aznares (2 de janeiro de 876 — 15 de outubro de 958) foi rainha de Pamplona pelo seu matrimónio com Sancho Garcês I. Era filha de conde Aznar Sanches de Larraun (ca. 845 - 893) e de Onneca Fortunes, filha do rei de Pamplona, Fortunio Garcês, que foram primos irmãos, e por tanto Toda era neta do rei Fortunio Garcês.Uma breve notícia de 956 de um monge do Abadia de São Galo nos Alpes bávaros, ao escrever sobre o descalabro muçulmano em 939 da batalha de Simancas e a posterior jornada de Alhándega, atribui a vitória à rainha Toda.
Toda Aznares 
xsd:integer 1981  2005  2006  2007 
Aurea ibn Lopo ibn Musa 
Anubar 
Marcial Pons Historia 
Ver descendencia 
Inscripción reina Toda.JPG 
xsd:integer 84  978 
xsd:integer 214 
En la España medieval 
Inscrição junto ao sepulcro da rainha Toda. 
es 
Madrid 
Zaragoza 
Valladolid 
Gonzalo 
Toda Aznares 
Jaime de 
xsd:integer
xsd:integer 29 
harv 
consorte: entre ? e 925 
Martínez Díez 
Salazar y Acha 
Rainha consorte e regente do Pamplona 
El Condado de Castilla : la historia frente a la leyenda 
Sancho III el Mayor Rey de Pamplona, Rex Ibericus 
Urraca. Un nombre egregio en la onomástica altomedieval 
Crónica del Califa Abderrahmân III an-Nâsir entre los años 912 y 942 : , trad. de Jesús Viguera e Federico Corriente. 
Inscrição junto ao sepulcro da rainha Toda. 
Rainha consorteeregentedoPamplona 
Toda Aznares (2 de janeiro de 876 — 15 de outubro de 958) foi rainha de Pamplona pelo seu matrimónio com Sancho Garcês I. Era filha de conde Aznar Sanches de Larraun (ca. 845 - 893) e de Onneca Fortunes, filha do rei de Pamplona, Fortunio Garcês, que foram primos irmãos, e por tanto Toda era neta do rei Fortunio Garcês. Tia carnal de Abderramão III, quando o mesmo monarca dirigia uma razia em 934 que se dirigia ao reino de Pamplona, invocou os seus laços de parentesco para que o califa lhe concedesse a paz e se afastarasse do seu reino. Abderramão em resposta, impôs que a rainha Toda se apresentarasse no acampamento muçulmano como prova de boa fé. Toda apresentou-se com o seu séquito em Calahorra, onde estava instalado o califa, que a recebeu com altas honras. Em Calahorra a rainha rendeu vassalagem a Abderramão III e assinou um tratado de não agressão e de colaboração com o califa, que investiu o filho de Toda, Garcia Sanchez I de Pamplona, "o Vascão", como rei de Pamplona e dos seus distritos. Depois deste tratado entre Toda e o califa, as tropas muçulmanas atravessaram o agora aliado Reino de Pamplona e marcharam contra o Reino de Leão onde assolaram Álava e Castela. Uma breve notícia de 956 de um monge do Abadia de São Galo nos Alpes bávaros, ao escrever sobre o descalabro muçulmano em 939 da batalha de Simancas e a posterior jornada de Alhándega, atribui a vitória à rainha Toda. Seu neto Sancho I, filho da sua filha Urraca, não era do agrado dos nobres leoneses e castelhanos. Estes, encabeçados pelo conde Fernão Gonçalves, destronaram-no e nomearam rei Ordonho IV. Dona Toda ajudou Sancho a pactuar com o califa Abderramão III, o seu sobrinho -neto da sua mãe Oneca- para recuperar o trono. 
xsd:nonNegativeInteger 52 
Toda Aznares 
xsd:integer 1599880 
xsd:nonNegativeInteger 6610 
xsd:integer 44154791 

data from the linked data cloud