The MDNA Tour

http://pt.dbpedia.org/resource/The_MDNA_Tour

The MDNA Tour foi a nona turnê da cantora norte-americana Madonna. A turnê, que tem como base o álbum MDNA foi anunciada pela Live Nation no dia 6 de fevereiro de 2012, juntamente com as primeiras datas da turnê, na Europa e na América do Norte. Posteriomente mais datas foram anunciadas. Segundo o agente de Madonna, Guy Oseary, a África do Sul também é uma possibilidade de rota para turnê no ano de 2013.. No final de 2012, a revista Billboard revelou ainda as 25 principais turnês de 2012, e MDNA Tour ficou na primeira posição com US$305,158,362 faturados em 88 apresentações esgotadas.2,212,278 espectadores assistiram a turnê que passou por 30 países diferentes. Em 2013 vai ser lançado o registro em vídeo da tour no dia 6 de setembro e no dia 10 nos EUA, o show foi gravado em Miami.
The MDNA Tour 
<second> 6.31152E8 
<second> 9.46728E8 
Assim como em outras cidades por onde a turnê havia passado, Madonna enfrentou um temporal horas antes de iniciar a única apresentação marcada para a cidade de Santiago, no Chile, dia 19 de dezembro. A chuva foi tamanha, que levou a uma "atitude" drástica: iniciar o show no segundo bloco. Seis canções e a introdução "Act of Contrition" foram cortadas do show, que iniciou com a música "Express Yourself" e seguiu normalmente. Madonna executou "Holiday" e "Spanish Lesson" e cortou "Like a Virgin" e "Love Spent". Alguns fãs que passaram horas nas filas e na chuva se irritaram com a "atitude" e exigiram seu dinheiro de volta. Outros compreenderam, e disseram que "é melhor ver um show pela metade do que show nenhum". 
Dias antes de sua chegada, já era esperado que Madonna fosse causar alvoroço na Rússia. A cantora, que sempre foi conhecida por suas fortes convicções e opiniões e mais uma vez ela mostrou sua opinião em um conflito internacional. Em fevereiro de 2012, três integrantes do grupo punk feminista russo Pussy Riot, conhecido por seus protestos exagerados foram presas por apresentar uma música em plena Categral de Cristo Salvador, em Moscou. Além de o local escolhido ter sido inapropriado, as cantoras ainda cantavam uma música contra o presidente do país, Vladimir Putin. Na ocasião de seu primeiro concerto da turnê na Rússia, em 7 de agosto de 2012, em Moscou, Madonna, assim como outros artistas como Paul McCartney, Björk e o grupo The Who decidiu protestar à favor das integrantes do Pussy Riot, pedindo sua liberdade, usando uma balaclava, marca registrada das apresentações do grupo e exibindo uma tatuagem com a palavra "Pussy Riot", no lugar da expressão "No Fear", utilizada em outros shows, durante a execução de Like a Virgin Em um discurso no concerto, a cantora afirmou que "as integrantes do Pussy Riot merecem ser livres", o governo russo é claro, reprovou a atitude da cantora, por seu Twitter o vice primeiro-ministro russo Dmitry Rogozin chamou Madonna de "puta velha que quer dar lições de moral em todo mundo". Após o show foi emitida pela Embaixada Norte-Americana em Moscou uma ameaça de atentada contra os fãs russos de Madonna, graças ao apelo da cantora . Durante o concerto de Nice, na França, Madonna protestou mais uma vez pedindo a liberdade das integrantes do grupo. Desde o inicio da etapa norte-americana da turnê, Madonna vêm fazendo discursos sobre o quão bom é poder ser livre, fazendo alusão à polêmica prisão do grupo. Durante seu primeiro show em Toronto ela tatuou novamente "Free Pussy Riot" e em seu segundo show, Madonna usou um capuz amarelo, novamente uma alusão às bataclavas que as integrantes do grupo usam quando se apresentam. Em um video, as integrantes do grupo agradeceram Madonna pelo apoio em sua causa e por dar voz à comunidade gay de São Petersburgo. 
Durante a apresentação de Vogue, são exibidas no telão fotos das celebridades citadas durante a canção, entre elas Greta Garbo, Marlene Dietrich, Marilyn Monroe, James Dean e Marlon Brando. Entretanto, após quase quatro meses de turnê, os detentores dos direitos de imagem de Brando decidiram processar a cantora por "uso indevido de imagem", pedindo o valor de 300 mil dólares de indenização. Segundo informação apuradas pela imprensa americana, todos os outros artistas tem seus direitos de imagem geridos pela CMG Worldwide, que negociou com a Brando Enterprise o uso das imagens do ator durante a turnê. Entretanto, de ultima hora, a gestora de Brando decidiu cobrar um valor muito mais alto para o uso das fotografias, valor este que não foi pago pela cantora. 
Durante os primeiros concertos, foi descoberto que durante o interludio de "Nobody Knows Me Madonna utilizou uma imagem do rosto da política francesa Marine Le Pen . O conflito ocorreu graças a uma suástica que foi implantada digitalmente no rosto da líder política. Marine Le Pen, por sua vez atacou e disse que caso ela apresentasse o vídeo em algum show na França, seria processada. Madonna acabou utilizando as imagens em um dos três shows no país, no Stade de France. Durante o polêmico segundo concerto da artista no país que ocorreu no lendário teatro Olympia, Madonna falou sobre o incidente com Le Pen, afirmando que o ato foi feito "para destacar os seres humanos intolerantes com o próximo".. No final de sua curta apresentação, o público atirou objetos em direção ao palco aos gritos e ofendendo a cantora. Através de seu site, Madonna se pronunciou afirmando que as pessoas que a xingaram e atiraram objetos ao palco não eram seus fãs, mas sim simpatizantes de Marine Le Pen.. Dias antes do terceiro show no país, em Nice, simpatizantes de Le Pen protestaram contra o concerto da cantora, colando imagens de Marine em cima de cartazes promocionais da turnê. Como resposta, Madonna mudou a imagem e onde antes aparecia o rosto da política, passou a aparecer um ponto de interrogação. Marine Le Pen é conhecida por sua política extremista, sendo a favor da pena de morte e contra os imigrantes, além de já ter sido acusada de ser simpatizante do nazismo. 
Outra controvérsia é o fato de que ao contrário de suas ultimas turnês, Madonna voltou a utilizar performances mais sensuais, que não eram vistas desdeThe Girlie Show, em 1993. Durante o segmento "Masculine/Feminine", por exemplo, Madonna canta "Human Nature", e progressivamente tira o figurino no palco, até somente vestir um conjunto de roupas íntimas. Tal ato causou polêmica, dada a idade da cantora, porém Madonna causou mais controvérsia ainda durante o show de Istambul, na Turquia, onde mostrou seu seio direito para o público durante a performance . Líderes religiosos do país muçulmano condenaram o ato e chegaram a afirmar que a cantora não é mais bem-vinda ao país. Durante o concerto em Roma, Madonna optou por exibir o bumbum durante a mesma canção e voltou a exibir o seio em seu show de 14 de julho, em Paris, porém desta vez o seio esquerdo foi o escolhido. 
thumb|right|Madonna durante a controversa performance de "Express Yourself/Born This Way". Desde que entrou na indústria músical, a cantora Lady Gaga é constantemente comparada à Madonna, tendo inclusive as duas já apresentado uma esquete especial no programa humorístico americano Saturday Night Live em que brigavam pelo posto de musa pop, entretanto desde o lançamento de seu álbum Born This Way, as comparações tornaram se cada vez mais frequentes, em especial da música homônima e da canção Express Yourself. Diante disso, Madonna divulgou uma gravação sua cantando Born This Way e a imprensa então começou a divulgar que a cantora cantaria a canção em sua turnê. Com a estréia do show em Tel Aviv, deixou-se claro de que Madonna a cantaria sim e além disso, fez um mash-up com "Express Yourself", cantando trechos das duas músicas intercalados e terminando com a canção "She's Not Me", uma clara mensagem à Lady Gaga, de que "Ela não é Madonna". Em resposta, Lady Gaga -também em turnê- afirmou em um show em Auckland que há pessoas que sentem-se felizes colocando o trabalho dos outros para baixo, e que o poder de Born This Way não pode ser invalidado. Meses mais tarde, em seu show em Atlantic City, Madonna dedicou a canção "Masterpiece" à Lady Gaga, afirmando que a ama, pois segundo ela "a imitação é a melhor forma de elogio" e ainda disse que um dia muito em breve partilhariam o mesmo palco, já que ambas iriam, em alguns países, passar pelos mesmos locais. . 
Depois da conturbada estadia em Moscou, Madonna partiu para sua segunda apresentação na Rússia, em São Petersburgo, que foi realizada em 9 de agosto de 2012. Horas antes do inicio a polícia local recolheu cartazes com a bandeira gay de todos os espectadores que aguardavam na fila e protestos de entidades anti-gays foram realizados. A apresentação começou tensa, pois o alerta de ataques terroristas emitido pela embaixada americana ainda estava válido. Tal fato porém não fez com que a cantora parasse seu protesto na cidade e mandasse sua produção distribuir pulseiras cor-de-rosa a todos os espectadores. O protesto tinha como objetivo demonstrar repúdio à lei municipal que proíbe qualquer alusão ou propaganda homossexual dentro dos limites da cidade, lembrando que Madonna é uma grande ativista a favor dos direitos dos gays, desde os anos 80. Madonna é claro, também utilizou a pulseira e estampou a bandeira gay no palco. O concerto terminou normalmente, sem nenhum atentado terrorista, entretanto começaram especulações de que um grupo russo anti-gay possivelmente moveria uma ação contra a cantora, por esta ter feito propaganda gay na cidade. Em 17 de setembro de 2012 foi divulgado que o processo realmente foi aberto e que um grupo de moradores da cidade pretendem pedir como indenização a quantia de $333 milhões de rublos, aproximadamente 11 milhões de dólares. O julgamento da ação está marcado para 11 de outubro de 2012. 
thumb|Madonna empunha armas durante a performance de Revolver. Como já havia sido avisado pela produção durante os ensaios, todo o segmento inicial chamado "The Prayer Overture" é extremamente violento, Madonna chega a simular um assassinato e são utilizadas réplicas de pistolas e de um fuzil AK-47 para dar maior realidade às cenas. Entretanto, tamanha violência não foi muito bem recebida por algumas organizações que criticaram o show, afirmando ser exagerado o uso de armas. Alheia às criticas da imprensa européia, Madonna só veio à público esclarecer o uso de armas horas antes da estréia do espetáculo na América do Norte, quando através de sua assessoria de imprensa, divulgou um comunicado afirmando que ela se mantém contra o uso de armas e pedindo para que não tirassem do contexto o uso de armas falsas durante o show. Segundo a cantora, as armas são somente mais um recurso cênico utilizado para "denunciar a hipocrisia da igreja" e devem ser interpretadas como uma metáfora. O comunicado fez-se necessário graças as polêmicas discussões que têm ocorrido sobre o uso de armas de fogo, nos Estados Unidos, país onde sua comercialização é legalizada, discussão essa que foi reacesa graças aos assassinatos em massa que haviam tornado-se frequentes no país, como o massacre ocorrido em um cinema, em Aurora. Após a apresentação em Denver, Colorado, Madonna foi novamente criticada pelo show violento, mesmo após ter enviado o comunicado do inicio da turnê. A população teria ficado escandalizada com o que chamou de "falta de sensibilidade da cantora". 
xsd:integer 31 
Nudez 
Notas 
Caso Marine Le Pen 
Datas na Austrália 
Fotos durante Vogue 
O Caso Pussy Riot 
O show em Santiago 
O uso de armas durante o show 
Protesto pró-gay em São Petersburgo 
Referências à Lady Gaga 
MDNA Tour .jpg 
Pôster promocional da turnê 
xsd:integer 30 
Mundial 
MDNA Tour 
xsd:integer 10  30  44  88 
text-align: left; font-size: 100%; width: 70%; 
background: #ccccff; font-size: 100%; width: 100%; 
The MDNA Tour foi a nona turnê da cantora norte-americana Madonna. A turnê, que tem como base o álbum MDNA foi anunciada pela Live Nation no dia 6 de fevereiro de 2012, juntamente com as primeiras datas da turnê, na Europa e na América do Norte. Posteriomente mais datas foram anunciadas. Segundo o agente de Madonna, Guy Oseary, a África do Sul também é uma possibilidade de rota para turnê no ano de 2013.. No final de 2012, a revista Billboard revelou ainda as 25 principais turnês de 2012, e MDNA Tour ficou na primeira posição com US$305,158,362 faturados em 88 apresentações esgotadas.2,212,278 espectadores assistiram a turnê que passou por 30 países diferentes. Em 2013 vai ser lançado o registro em vídeo da tour no dia 6 de setembro e no dia 10 nos EUA, o show foi gravado em Miami. 
xsd:nonNegativeInteger 533 
Celebration 
MDNA 
xsd:integer 22 
The MDNA Tour 
xsd:integer 3653207 
xsd:nonNegativeInteger 87712 
xsd:integer 43983595 

data from the linked data cloud