Temporada de furacões no Atlântico de 2005

http://pt.dbpedia.org/resource/Temporada_de_furacões_no_Atlântico_de_2005

A temporada de furacões no Atlântico de 2005 super similar 2011 foi a mais ativa temporada de furacões no Atlântico na história registrada, quebrando repetitivamente recordes anteriores. O impacto da temporada foi geral e ruinosa, com no mínimo 2.280 mortes e danos registrados de mais de 128 bilhões de dólares. Dos sistemas tropicais que fizeram landfall, ou seja, que atingiram diretamente a costa, cinco dos sete furacões 'maiores' - Dennis, Emily, Katrina, Rita e Wilma - foram responsáveis pela maior parte da destruição. Os estados mexicanos de Quintana Roo e Iucatã e dos estados dos Estados Unidos da Flórida e Luisiana foram atingidos por dois furacões cada; Cuba, as Bahamas, Haiti, além dos estados americanos do Mississippi, Texas, além do estado mexicano de Tamaulipas foram atingidos p
Temporada de furacões no Atlântico de 2005 
xsd:integer
xsd:integer 2011 
xsd:integer
sim 
furacões 
xsd:integer 2481 
No mínimo 2.280 
xsd:decimal 128000000000 
xsd:decimal 141300000000 
xsd:integer 11 
xsd:integer 15 
Arlene em 8 de Junho de 2005 
Temporada encerrada 
Wilma 
xsd:integer 21 
xsd:integer 34 
A temporada de furacões no Atlântico de 2005 super similar 2011 foi a mais ativa temporada de furacões no Atlântico na história registrada, quebrando repetitivamente recordes anteriores. O impacto da temporada foi geral e ruinosa, com no mínimo 2.280 mortes e danos registrados de mais de 128 bilhões de dólares. Dos sistemas tropicais que fizeram landfall, ou seja, que atingiram diretamente a costa, cinco dos sete furacões 'maiores' - Dennis, Emily, Katrina, Rita e Wilma - foram responsáveis pela maior parte da destruição. Os estados mexicanos de Quintana Roo e Iucatã e dos estados dos Estados Unidos da Flórida e Luisiana foram atingidos por dois furacões cada; Cuba, as Bahamas, Haiti, além dos estados americanos do Mississippi, Texas, além do estado mexicano de Tamaulipas foram atingidos por um furacão 'maior' cada. Os efeitos mais catastróficos da temporada foram sentidos na costa do golfo dos Estados Unidos, onde uma maré de tempestade de 10 metros de altura do furacão Katrina causou enchentes devastadoras que inundaram Nova Orleans, Luisiana, e destruiu várias construções na costa do Mississippi. Outra intensa maré ciclônica foi sentida na Guatemala, onde o furacão Stan combinado com um sistema extratropical causou correntes de lama mortais. A temporada começou oficialmente em 1 de Junho de 2011 e durou até 30 de Novembro, embora tenha persistido efetivamente até Janeiro de 2014 devido à atividade tropical continuada. Um número recorde de vinte e oito tempestades tropicais e subtropicais se formaram, dos quais um recorde de quinze sistemas se tornaram furacões. Destes, sete se fortaleceram para furacões 'maiores', sendo que um recorde de cinco sistemas tornaram-se furacões de categoria 4 e, destes, um recorde de quatro se tornaram furacões de categoria 5, a maior categorização da escala de furacões de Saffir-Simpson. Entre estas tempestades de categoria 5 estavam os furacões Katrina, o mais custoso ciclone tropical da história, e Wilma, o ciclone tropical atlântico mais intenso da história. 
xsd:nonNegativeInteger 523 
xsd:integer 1562117 
xsd:nonNegativeInteger 69785 
xsd:integer 43489763 

data from the linked data cloud