St. Anger

http://pt.dbpedia.org/resource/St._Anger an entity of type: Thing

St. Anger é o nono álbum de estúdio da banda estadunidense de metal Metallica, lançado em 5 de junho de 2003 pela Elektra Records. O álbum é considerado o mais "controverso" de toda a carreira da banda.O álbum obteve uma recepção mista pela crítica especializada, e os fãs mais antigos apontaram o álbum como "o fundo do poço da carreira da banda", por causa da produção crua, da falta de solos, e pelo som extremamente alto da bateria. A única crítica positiva foi a volta de um Metallica mais pesado.
St. Anger 
St-anger album.jpg 
<second> 324.0  4508.0  345.0  441.0  351.0  314.0  327.0  506.0  430.0  511.0  529.0 
xsd:integer
St. Anger 
Bob Rock, Metallica 
Death Magnetic 
estúdio 
My World 
All Within my Hands 
Dirty Window 
Invisible Kid 
Purify 
Shoot me Again 
Sweet Amber 
Reload 
xsd:integer
B+ 
Uncut 
De maio de 2002 a abril de 2003 
xsd:double 4508.0 
St. Anger é o nono álbum de estúdio da banda estadunidense de metal Metallica, lançado em 5 de junho de 2003 pela Elektra Records. O álbum é considerado o mais "controverso" de toda a carreira da banda. Além de ter sido o primeiro álbum do Metallica lançado no século 21, St. Angertambém foi o último sob contrato da gravadora Elektra, marcando assim o fim do mais longo período de tempo entre álbuns de estúdio da banda, com quase cinco anos entre o lançamento de Garage Inc. e também marcando assim o fim do mais longo período de tempo entre produção original da banda, com quase seis anos entre o lançamento de ReLoad e este álbum. St. Anger foi originalmente planejado para ter o seu lançamento em 10 de junho de 2003, mas foi liberado cinco dias antes devido a preocupações sobre a distribuição ilegal através do compartilhamento de arquivos peer-to-peer. O álbum marca a colaboração final entre Metallica e o produtor Bob Rock, cujo relacionamento começou com o álbum homônimo de 1991. St. Anger é também o primeiro álbum após a saída do baixista de longa data Jason Newsted, que deixou o grupo pouco antes da primeira sessão de gravação, restando ao então produtor Bob Rock o cargo temporário de baixista do Metallica ate que a banda encontrasse um substituto permanente. A gravação do álbum inicialmente começou em 24 de abril de 2001, mas foi adiada indefinidamente quando o vocalista e guitarrista James Hetfield entrou em uma clinica de reabilitação para tratamento do alcoolismo e "outros vícios". O álbum é muitas vezes reconhecido por ser uma mudança radical a partir de trabalhos anteriores do Metallica, este apresenta uma forma mais "moderna de metal", com guitarras afinadas em Drop C, sem solos de guitarra e incorporando elementos vindos da música experimental, do rap metal e do hardcore punk. Os bastidores da gravação podem ser vistos no documentário Some Kind of Monster. O álbum obteve uma recepção mista pela crítica especializada, e os fãs mais antigos apontaram o álbum como "o fundo do poço da carreira da banda", por causa da produção crua, da falta de solos, e pelo som extremamente alto da bateria. A única crítica positiva foi a volta de um Metallica mais pesado. St. Anger estreou na primeira posição das paradas de vendas vários países, incluindo a Billboard 200 dos Estados Unidos. Em 2004, a canção "St. Anger" venceu o Grammy Award na categoria "Melhor Performance de Metal". O álbum vendeu mais de 6 milhões de copias em todo o mundo. 
xsd:nonNegativeInteger 81 
St. Anger 
xsd:integer 424877 
xsd:nonNegativeInteger 13926 
xsd:integer 44683503 
<minute> 75.13333333333334 

data from the linked data cloud