Sebastião de Portugal

http://pt.dbpedia.org/resource/Sebastião_de_Portugal an entity of type: Thing

Sebastião I de Portugal (Lisboa, 20 de janeiro de 1554 — Alcácer-Quibir, 4 de agosto de 1578) foi o décimo sexto rei de Portugal, cognominado O Desejado por ser o herdeiro esperado da Dinastia de Avis, mais tarde nomeado O Encoberto ou O Adormecido. Foi o sétimo rei da Dinastia de Avis, neto do rei João III de quem herdou o trono com apenas três anos. A regência foi assegurada pela sua avó Catarina de Áustria e pelo Cardeal Henrique de Évora.
Sebastião de Portugal 
Senhor 
xsd:integer 1554  1557 
Assinatura D. Sebastião.svg 
Sebastião de Portugal 
xsd:integer 16 
Vossa Majestade 
Sua Majestade 
xsd:integer 100 
Sebastião de Portugal, c. 1571-1574 - Cristóvão de Morais.png 
D. Sebastião em pintura atribuída a Cristóvão de Morais. 
Brasão de armas do Reino de Portugal 
Sebastião I 
Por ocasião da entrevista de Guadalupe , concedida por Filipe II de Espanha a seu sobrinho D. Sebastião, e do tratamento majestático que lhe foi concedido pelo tio, D. Sebastião passa a usar a fórmula de adereçamento Sua Majestade, prenunciando o seu desejo imperial de conquista de África, suplantando a forma Sua Alteza Real até então em uso. 
O Desejado, O Encoberto 
— 
xsd:integer 40  100  220 
Sebastião de Portugal 
D. Sebastião Rei de Portugal 
D. Sebastião em pintura atribuída aCristóvão de Morais. 
Rei de Portugal 
220px 
Sebastião I de Portugal (Lisboa, 20 de janeiro de 1554 — Alcácer-Quibir, 4 de agosto de 1578) foi o décimo sexto rei de Portugal, cognominado O Desejado por ser o herdeiro esperado da Dinastia de Avis, mais tarde nomeado O Encoberto ou O Adormecido. Foi o sétimo rei da Dinastia de Avis, neto do rei João III de quem herdou o trono com apenas três anos. A regência foi assegurada pela sua avó Catarina de Áustria e pelo Cardeal Henrique de Évora. Aos 14 anos assumiu a governação manifestando grande fervor religioso e militar. Solicitado a cessar as ameaças às costas portuguesas e motivado a reviver as glórias da chamada Reconquista (século X - 1492), decidiu a montar um esforço militar em Marrocos, planeando uma cruzada após Mulei Mohammed ter solicitado a sua ajuda para recuperar o trono. A derrota portuguesa na batalha de Alcácer-Quibir em 1578 levou ao desaparecimento de D. Sebastião em combate e da nata da nobreza, iniciando a crise dinástica de 1580 que levou à perda da independência para a dinastia Filipina e ao nascimento do mito do Sebastianismo. 
xsd:nonNegativeInteger 150 
Sebastião I 
xsd:integer 16597 
xsd:nonNegativeInteger 27501 
xsd:integer 44847256 

data from the linked data cloud