Orangotango

http://pt.dbpedia.org/resource/Orangotango an entity of type: Thing

O orangotango (cujo nome vem de duas palavras da língua malaia que, juntas, significam "pessoa da floresta") é um género de exclusivamente duas espécies asiáticas de Grandes primatas. Nativo da Indonésia e da Malásia, os orangotangos são encontrados somente nas florestas tropicais do Bornéu e da Sumatra. Classificado no género Pongo, orangotangos foram considerados uma espécie. No entanto, desde 1996, eles foram divididos em duas espécies: o orangotango-de-bornéu (P. pygmaeus) e o orangotango-de-sumatra (P. abelii). Para além disso, a espécie do orangotango-de-bornéu está dividida em 3 subespécies. Os orangotangos também são as únicas espécies sobreviventes da subfamília Ponginae, que também incluiu várias outras espécies como o gigantopithecus, o maior primata conhecido. Ambas as espécies
Orangotango 
Pongo 
pink 
Pongo borneo 
Pongo 
Orang Utan, Semenggok Forest Reserve, Sarawak, Borneo, Malaysia.JPG 
Mapa distribuicao pongo.png 
Mapa de distribuição do orangotango. 
Orangotango 
* Orangotango-de-sumatra * Orangotango-de-bornéu 
Espécies 
Ponginae 
* Faunus (Oken, 1816)[indisponível] 
* Lophotus (Fischer, 1813) 
* Macrobates (Bilberg, 1828) 
* Satyrus (Lesson, 1840) 
pink 
* Faunus (Oken, 1816)[indisponível] 
* Lophotus (Fischer, 1813) 
* Macrobates (Bilberg, 1828) 
* Satyrus (Lesson, 1840) 
* Faunus (Oken, 1816) [indisponível] * Lophotus (Fischer, 1813) * Macrobates (Bilberg, 1828) * Satyrus (Lesson, 1840) 
O orangotango (cujo nome vem de duas palavras da língua malaia que, juntas, significam "pessoa da floresta") é um género de exclusivamente duas espécies asiáticas de Grandes primatas. Nativo da Indonésia e da Malásia, os orangotangos são encontrados somente nas florestas tropicais do Bornéu e da Sumatra. Classificado no género Pongo, orangotangos foram considerados uma espécie. No entanto, desde 1996, eles foram divididos em duas espécies: o orangotango-de-bornéu (P. pygmaeus) e o orangotango-de-sumatra (P. abelii). Para além disso, a espécie do orangotango-de-bornéu está dividida em 3 subespécies. Os orangotangos também são as únicas espécies sobreviventes da subfamília Ponginae, que também incluiu várias outras espécies como o gigantopithecus, o maior primata conhecido. Ambas as espécies tiveram o seu genoma sequenciado e parecem ter divergido há cerca de 400.000 anos atrás. Orangotangos divergiram do resto dos grandes primatas há aproximadamente 15,7-19,3 milhões de anos atrás. Os orangotangos são os primatas mais arborícolas e passam a maior parte do seu tempo nas árvores. O seu pêlo é tipicamente marrom-avermelhado, ao contrário do pêlo dos Gorilas e dos Chimpanzés. Machos e fêmeas diferem em tamanho e aparência. Têm entre 1,10 e 1,40 m de altura e pesa entre 35 e 100 kg, embora os machos adultos geralmente pesam 200 kg , o que o faz a terceira maior espécie de primata do mundo, superado apenas pelo gorila e pelo homem, com quem partilha cerca de 97% dos genes. Os orangotangos são animais territorialistas, para demarcar território o macho dá um grito estrondoso que avisa os outros orangotangos para não entrarem em seu território. São as espécies mais solitárias dos grandes primatas, com laços sociáveis que só ocorrem principalmente entre as mães e seus filhos independentes, que ficam juntos durante primeiros dois anos. Por consequência os machos adultos só procuram as fêmeas uma vez por ano, na época da seca e acasalam frontalmente. Uma característica sexual notável é o crescimento de "abas" nas laterais da fronte e no pescoço dos machos maduros, o que lhes dá um aspecto bastante peculiar. As principais ameaças às populações de orangotangos selvagens incluem a caça, destruição do habitat e comércio ilegal de animais para uso de estimação. Segundo os cientistas, restam pouco mais de 100 000 orangotangos no mundo, sendo que o rápido crescimento do ritmo de devastação permite fazer a previsão que a extinção da espécie ocorrerá em algumas décadas. As fêmeas vivem em grupos, mas aparentemente sem a mesma hierarquia encontrada em outras espécies de antropóides e aprendem como cuidar dos filhotes com as fêmeas mais velhas. Os filhotes nascem após nove meses de gestação, passando a ficar agarrados aos pelos longos das costas da mãe. No ambiente silvestre, a taxa reprodutiva é baixa, o que contribui ainda mais para o risco de extinção. Os filhotes ficam em média 8 anos com a mãe, até se tornarem independentes, o que faz as mães orangotangos, as primatas que cuidam por mais tempo os seus filhos (sem contar com o ser humano. Os orangotangos vivem em média 35 anos a 40 anos em ambiente selvagem e 50 anos em cativeiro. 
xsd:nonNegativeInteger 257 
Orangotango 
xsd:integer 65365 
xsd:nonNegativeInteger 32195 
xsd:integer 44932966 

data from the linked data cloud