Oleoduto Baku-Tbilisi-Ceyhan

http://pt.dbpedia.org/resource/Oleoduto_Baku-Tbilisi-Ceyhan

O oleoduto Baku-Tbilisi-Ceyhan (BTC) leva petróleo de Baku, no mar Cáspio, passando por Tbilisi na Geórgia, até o porto de Yumurtalik, em Ceyhan, na porção do território da Turquia junto ao Mar Mediterrâneo.Tem 1770 km de extensão, capacidade instalada para bombear até 1 milhão de barris de petróleo por dia, mas a média tem se situado em torno de 700 a 800 mil barris por dia nos últimos dois anos. Seu maior acionista é a British Petroleum.Dos 249 km do percurso do BTC que passam pelo território georgiano, 55 km atravessam a Ossétia do Sul.
Oleoduto Baku-Tbilisi-Ceyhan 
O oleoduto Baku-Tbilisi-Ceyhan (BTC) leva petróleo de Baku, no mar Cáspio, passando por Tbilisi na Geórgia, até o porto de Yumurtalik, em Ceyhan, na porção do território da Turquia junto ao Mar Mediterrâneo. Tem 1770 km de extensão, capacidade instalada para bombear até 1 milhão de barris de petróleo por dia, mas a média tem se situado em torno de 700 a 800 mil barris por dia nos últimos dois anos. Seu maior acionista é a British Petroleum. O primeiro trecho do oleoduto está localizado entre a tradicional zona petrolífera de Baku, no Azerbaijão e a Geórgia (trecho Baku-Tbilisi). Este trecho foi inaugurado em 2005, mas seu funcionamento comercial só teve incício em 2006 com a inauguração do seu trecho final em Ceyhan. O território da Geórgia torna esse país, que não tem reservas significativas, importante na geopolítica dos oleodutos . Através do oleoduto Baku-Tbilisi-Ceyhan escoa parte do petróleo extraído da bacia do Cáspio, sem passar pelo território de países rivais dos Estados Unidos e seus aliados ocidentais da OTAN, como os territórios da Rússia e do Irã. Dos 249 km do percurso do BTC que passam pelo território georgiano, 55 km atravessam a Ossétia do Sul. O oleoduto já foi atacado, em seu trecho turco, por um atentado a bomba assumido pelo PKK, o grupo armado curdo que faz oposição ao governo da Turquia e pede a independência da região do Curdistão. O oleoduto permaneceu intacto durante a guerra entre Russia e Geórgia em 2008, envolvendo as regiões da Ossétia do Sul e Abecásia (ver: Guerra na Ossétia do Sul em 2008). 
xsd:nonNegativeInteger 43 
xsd:integer 1920451 
xsd:nonNegativeInteger 3412 
xsd:integer 39271255 

data from the linked data cloud