Neville Chamberlain

http://pt.dbpedia.org/resource/Neville_Chamberlain an entity of type: Thing

Arthur Neville Chamberlain FRS (Birmingham, 18 de Março de 1869 – Heckfield, 9 de Novembro de 1940) foi um político britânico do Partido Conservador, Primeiro-Ministro do Reino Unido entre Maio de 1937 e Maio de 1940. Chamberlain ficou conhecido pela sua política externa de apaziguamento, e, em particular, por ter assinado o Acordo de Munique, em 1938, o qual concedia a Região dos Sudetos da Checoslováquia à Alemanha. Quando Adolfo Hitler continuou com a sua agressão ao invadir a Polónia, os britânicos declararam guerra à Alemanha a 3 de Setembro de 1939, e Chamberlain liderou o Reino Unido nos primeiros oito meses da Segunda Guerra Mundial.
Neville Chamberlain 
Mason Science College 
xsd:integer 1937 
Stanley Baldwin 
Philip Snowden 
Arthur Greenwood 
John Wheatley 
Sir Arthur Griffith-Boscawen 
Neville Chamberlain Signature 2.svg 
Anne de Vere Cole 
Esposa 
Philip Snowden 
Arthur Greenwood 
Hilton Young 
Sir John Simon 
William Joynson-Hicks, 
Neville chamberlain1921.jpg 
xsd:integer 245 
(O Muito Honorável) 
FRS 
Neville Chamberlain 
Arthur Neville Chamberlain 
Florence Kenrick 
Empresário 
Primeiro-Ministro do Reino Unido 
Chanceler do Tesouro 
Ministro da Saúde 
Jorge V 
Jorge VI 
Eduardo VIII 
Monarcas 
Monarca 
Primeiro-Ministro do Reino Unido 
Chanceler do Tesouro 
Arthur Neville Chamberlain FRS (Birmingham, 18 de Março de 1869 – Heckfield, 9 de Novembro de 1940) foi um político britânico do Partido Conservador, Primeiro-Ministro do Reino Unido entre Maio de 1937 e Maio de 1940. Chamberlain ficou conhecido pela sua política externa de apaziguamento, e, em particular, por ter assinado o Acordo de Munique, em 1938, o qual concedia a Região dos Sudetos da Checoslováquia à Alemanha. Quando Adolfo Hitler continuou com a sua agressão ao invadir a Polónia, os britânicos declararam guerra à Alemanha a 3 de Setembro de 1939, e Chamberlain liderou o Reino Unido nos primeiros oito meses da Segunda Guerra Mundial. Depois de ter trabalhado em negócios e no governo local, e após uma curta passagem como Director do Serviço Nacional em 1916 e 1917, Chamberlain seguiu os passos do seu pai, Joseph Chamberlain, e de um meio-irmão mais velho, Austen Chamberlain, ao tornar-se Membro do Parlamento nas eleições gerais de 1918 aos 49 anos de idade. Recusou um cargo ministerial secundário, mantendo-se um simples deputado, até 1922. Rapidamente foi promovido a Secretário-de-Estado da Saúde, em 1923, e, a seguir, Chanceler do Tesouro. Depois de um governo trabalhista, regressou como Ministro da Saúde, introduzindo uma série de medidas reformistas, entre 1924 e 1929. Em 1931, foi nomeado Chanceler do Tesouro no Governo Nacional em 1931. Quando Stanley Baldwin se retirou em Maio de 1937, Chamberlain ocupou o seu lugar como Primeiro-ministro. O seu governo foi dominado pela atitude política tomar em relação ao aumento de agressividade por parte da Alemanha, e a sua acção em Munique foi bem vista entre os britânicos, naquela época. Quando Hitler continuou a sua agressão, Chamberlain comprometeu-se em defender a independência da Polónia, se esta fosse atacada, uma promessa que levou o Reino Unido a entrar em guerra quando a Alemanha atacou a Polónia em 1939. Chamberlain demitiu-se de Primeiro-Ministro no dia 10 de Maio de 1940, depois de os Aliados terem sido forçados a retirar da Noruega, pois acreditava ser essencial um governo constituído por todos, e os partidos Trabalhista e Liberal não se juntariam a um governo por ele liderado. Sucedeu-lhe Winston Churchill, e manteve-se bem visto no Parlamento, em particular entre os Conservadores. Antes de a sua saúde o forçar a abandonar o governo, foi um membro importante do Gabinete de Guerra de Churchill, chefiando-o na ausência deste. Chamberlain morreu de câncer no intestino seis meses depois de deixar a liderança do governo, em 9 de novembro de 1940. Seu funeral ocorreu na Abadia de Westminster (devido a preocupações de segurança em tempo de guerra, a data e a hora não foram amplamente divulgadas), e suas cinzas foram enterradas no mesmo local, junto de Andrew Bonar Law. A reputação de Chamberlain mantém-se controversa entre historiadores. A sua boa imagem é deitada abaixo por alguns trabalhos como Guilty Men, publicado em Julho de 1940, o qual culpava Chamberlain e os seus associados pelo acordo de Munique, e por alegadamente não ter preparado convenientemente o país para a guerra. Muitos historiadores da geração posterior de Chamberlain também têm a mesma opinião, incluindo-se o próprio Churchill em The Second World War. Alguns historiadores mais recentes têm uma perspectiva mais favorável de Chamberlain e das suas políticas, citando documentos publicados sob a Regra dos Trinta Anos. 
xsd:nonNegativeInteger 74 
(O Muito Honorável) 
FRS 
Neville Chamberlain 
xsd:integer 166003 
xsd:nonNegativeInteger 17108 
xsd:integer 44154948 

data from the linked data cloud