Netuno (planeta)

http://pt.dbpedia.org/resource/Netuno_(planeta)

Netuno (português brasileiro) ou Neptuno (português europeu) (AO 1990: Netuno ou Neptuno) é o oitavo planeta do Sistema Solar, o último a partir do Sol desde a reclassificação de Plutão para a categoria de planeta anão, em 2006. Pertencente ao grupo dos gigantes gasosos, possui um tamanho ligeiramente menor que o de Urano, mas maior massa, equivalente a 17 massas terrestres. Netuno orbita o Sol a uma distância média de 30,1 unidades astronômicas.
Netuno (planeta) 
left 
xsd:integer 1984  1991  1995  2000  2001  2003  2004  2006  2007  2008  2009  2010  2011  2012  2013  2014 
Alex Filippenko 
A. Morbidelli,H. Rauer 
Dana Backman 
Imke de Pater 
John Mason 
Paolo Farinella,David Vokrouhlický 
Standish, E. M. 
Tilman Spohn,Doris Breuer,Torrence Johnson 
xsd:integer
Neptune 
Neptune 
vertical 
Springer 
Arizona University Press 
Britannica Educational Publishing 
Courier Dover Publications 
Encyclopaedia Britannica Inc. 
FTL Publications 
Henry Holt 
Imperial College Press 
Infobase Publishing 
John Wiley & Sons 
Pergamon Press 
Twenty First century Books 
University of Arizona Press 
xsd:integer
i-YvHNPEqAIC 
tZsoAAAAQBAJ 
John Couch Adams.jpg 
Urbain Le Verrier.jpg 
xsd:integer 978 
Londres 
Nova York 
New York, New York 
Inglês 
Bruno 
Peter 
Philippe 
Roger 
Patrick 
Mark 
Erik 
Ron 
Alan 
Michael 
Barrie William 
D. 
D. P. 
Jack J. 
Jay M. 
Joan Marie 
Kenneth R. 
Linda T. 
M. Antonietta et al. 
Michael E. 
Michael M. 
Mikhail Ya. 
Richard ,Jr. 
Tilman 
xsd:integer 332 
xsd:integer 80  112  244  251  258  261  304  335  336  428  438  452  454  456  464  592  595  647  701  1249  1336 
harv 
xsd:integer 978 
Encyclopaedia Britannica 
Borgia 
Bond 
Jones 
Irwin 
Miller 
Jewitt 
Marov 
Barucci 
Cruikshank 
Pasachoff 
Hirschfeld 
Dymock 
Bakich 
Bertotti 
Blondel 
Elkins-Tanton 
Gregersen 
Lang 
Lissauer 
Littmann 
Schmude 
Seeds 
Spohn 
Verba 
Woolfson 
Dynamics and evolution, space physics and spacetime structure 
Júpiter, Saturn, Uranus, Neptune and the Dwarf Planets 
Atmospheres, structure and composition 
astronomy in the new millenium 
by natural simple processes 
exploring the outer planets 
milestones in planetary exploration 
physics, chemistry and habitability 
a survey of the cosmos from the home planet to space frontiers 
how to improve your observing skills 
Voyager 
Distant worlds 
Encyclopedia of the Solar System 
Exploring the Solar System 
Fundamental Planetary Science 
Giant planets of our Solar System 
Human vision and the night sky 
Neptune and Triton 
New views of the Solar System 
On the origin of planets 
Parallax: The Race to Measure the Cosmos 
Physics of the Solar System 
Planetary Sciences 
Planets Beyond: Discovering the Outer Solar System 
Solar System update 
The Cambridge Guide to the Solar System 
The Cambridge Planetary Handbook 
The Cambridge guide to the Solar System 
The Cosmos 
The Solar System 
The Solar System beyond Neptune 
The fundamentals of modern astrophysics 
The new Solar 
The outer Solar System 
Trans-neptunian objects and comets 
Uranus and Neptune 
Uranus, Neptune, Pluto and the outer Solar System 
Uranus, Neptune, and Pluto and how to observe them 
Asteroids and dwarf planets and how to observe them 
http://books.google.com.br/books?id=0bEMAwAAQBAJ 
http://books.google.com.br/books?id=8HIrh-9o2CkC 
http://books.google.com.br/books?id=My8J0G3R1-4C 
http://books.google.com.br/books?id=RfUeE4GvfSoC 
http://books.google.com.br/books?id=ptLFDN0z8gQC 
https://books.google.com.br/books?id=3AODx2z63vEC 
https://books.google.com.br/books?id=47azIwooFqEC 
https://books.google.com.br/books?id=DQycAAAAQBAJ 
https://books.google.com.br/books?id=HCnhb-r3dhAC 
https://books.google.com.br/books?id=HhBYx9ng-WQC 
https://books.google.com.br/books?id=MgY3UyHpRdcC 
https://books.google.com.br/books?id=PE99nOKjbXAC 
https://books.google.com.br/books?id=RdCUsMy3l7EC 
https://books.google.com.br/books?id=ZtMINcZh8kgC 
https://books.google.com.br/books?id=a_ijoTgDhnEC 
https://books.google.com.br/books?id=bJoYlBWbCAYC 
https://books.google.com.br/books?id=caltAAAAQBAJ 
https://books.google.com.br/books?id=i0FTBQAAQBAJ 
https://books.google.com.br/books?id=iQtEAAAAQBAJ 
https://books.google.com.br/books?id=kdv-BAAAQBAJ 
https://books.google.com.br/books?id=tSg4uJMeV2IC 
https://books.google.com.br/books?id=vQcAnwt_87sC 
https://books.google.com.br/books?id=zQWIebc8634C 
https://books.google.com.br/books?id=zR8KAAAAQBAJ 
xsd:integer 170 
Netuno 
Netuno (português brasileiro) ou Neptuno (português europeu) (AO 1990: Netuno ou Neptuno) é o oitavo planeta do Sistema Solar, o último a partir do Sol desde a reclassificação de Plutão para a categoria de planeta anão, em 2006. Pertencente ao grupo dos gigantes gasosos, possui um tamanho ligeiramente menor que o de Urano, mas maior massa, equivalente a 17 massas terrestres. Netuno orbita o Sol a uma distância média de 30,1 unidades astronômicas. O planeta é formado por um pequeno núcleo rochoso ao redor do qual encontra-se uma camada formada possivelmente por água, amônia e metano sobre a qual situa-se sua turbulenta atmosfera, constituída predominantemente de hidrogênio e hélio. De fato, notáveis eventos climáticos ocorrem em Netuno, inclusive a formação de diversas camadas de nuvens, tempestades ciclônicas visíveis, como a já extinta Grande Mancha Escura, além dos ventos mais rápidos do Sistema Solar, que atingem mais de 2 000 km/h. A radiação solar recebida por Netuno não seria suficiente para fornecer tamanha energia à turbulenta atmosfera, pelo que descobriu-se que o calor irradiado do centro do planeta possui um papel importante na manutenção destes eventos meteorológicos extremos. A pequena quantidade de metano nas camadas altas da atmosfera é, em parte, responsável pela coloração azul do planeta. Ao redor de Netuno orbitam quatorze satélites naturais conhecidos, dos quais destaca-se Tritão, de longe o maior. Um tênue e incomum sistema de anéis também existe, exibindo uma estrutura irregular com concentrações de material que formam arcos. Sua influência gravitacional afeta as órbitas de corpos menores situados além, no Cinturão de Kuiper, entrando em ressonância orbital. Visto da Terra, Netuno apresenta uma alta magnitude (quanto mais brilhante o astro, menor sua magnitude), sendo impossível observá-lo a olho nu. Suspeitou-se de sua existência somente após a observação cuidadosa da órbita de Urano, que apresentava ligeiras irregularidades por conta da perturbação gravitacional de Netuno. Após análise matemática com conclusões obtidas independentemente por John Couch Adams e Urbain Le Verrier, obtiveram as posições aproximadas de onde o planeta deveria estar na esfera celeste. Após diversas buscas com o auxílio de telescópios, em 23 de setembro de 1846 encontraram o planeta, cujo nome escolhido posteriormente homenageia o deus romano dos mares. Até o presente momento, a única sonda espacial que visitou o planeta foi a Voyager 2, em 1989, cuja passagem permitiu obter fotografias e informações sem precedentes, ainda sendo a principal fonte de dados sobre o que atualmente se conhece sobre o planeta. 
xsd:nonNegativeInteger 274 
xsd:integer 1334 
xsd:nonNegativeInteger 64233 
xsd:integer 44976560 

data from the linked data cloud