Muão

http://pt.dbpedia.org/resource/Muão

O muão (português europeu) ou múon (português brasileiro) é uma partícula elementar semelhante ao elétron, com carga elétrica unitária negativa de -1 e um spin de12, mas com uma massa muito maior (105,7 MeV/c2). É classificado como um lépton, assim como o elétron (massa de 0,511 MeV/c2), o Tau (massa de 1777,8 MeV/c2), e os três neutrinos. Como é o caso com outras léptons, não se acredita que o múon tenha qualquer sub-estrutura; ou seja, não apresenta quaisquer partículas mais simples.
Muão 
−1 e 
xsd:integer 21969811 
Sombra de raios cósmicos da Lua , como visto em múons secundários gerados por raios cósmicos na atmosfera, e detectados a 700 metros abaixo do solo , no detector Soudan II 
xsd:integer 248 
xsd:integer 1056583715 
Múon 
xsd:integer
μ− 
Nenhuma 
Segunda 
O muão (português europeu) ou múon (português brasileiro) é uma partícula elementar semelhante ao elétron, com carga elétrica unitária negativa de -1 e um spin de12, mas com uma massa muito maior (105,7 MeV/c2). É classificado como um lépton, assim como o elétron (massa de 0,511 MeV/c2), o Tau (massa de 1777,8 MeV/c2), e os três neutrinos. Como é o caso com outras léptons, não se acredita que o múon tenha qualquer sub-estrutura; ou seja, não apresenta quaisquer partículas mais simples. O múon é uma partícula subatômica instável, com uma vida média de 2,2µs. Entre todas as conhecidas partículas subatômicas instáveis, só o nêutron e alguns núcleos atômicos têm uma vida útil mais longa; outros decaem significativamente mais rápido. O decaimento do (bem como do nêutron, o bárion instável de vida mais longa), é mediada exclusivamente pela Força fraca. O decaimento do múon sempre produz, pelo menos, três partículas, que devem incluir um elétron da mesma carga que o múon e dois neutrinos de diferentes tipos. Como todas as partículas elementares, o múon tem uma antipartícula correspondente de carga oposta, mas com a mesma massa e o mesmo spin: O antimúon (também chamado de múon positivo). Múons apresentam μ- e antimuons apresentam μ+ (Ou seja cargas opostas, como ocorre também entre o elétron e o pósitron). Múons foram anteriormente chamado de mésons Mu, mas não são classificadas como mésons pelos físicos de partículas modernos, e então o nome não é mais usado pela comunidade científica. Múons tem uma massa de 105,7 MeV/c2, que é cerca de 200 vezes maior do que o elétron. Devido à sua maior massa, muões não são fortemente acelerados quando se deparam com campos electromagnéticos, e não emitem tanta bremsstrahlung (radiação de desaceleração). Isso permite que os múons de uma certa energia penetrem mais profundamente na matéria do que os elétrons, uma vez que a desaceleração de elétrons e múons é principalmente devido à perda de energia pelo mecanismo bremsstrahlung. Como um exemplo, os chamados "múons secundários", gerados por raios cósmicos que atingem a atmosfera, podem penetrar a superfície da Terra, e até mesmo em minas profundas. Já que os múons têm uma grande massa e energia em comparação com a energia de decaimento da radioatividade, eles nunca são produzidos por decaimento radioativo. Eles são, no entanto, produzidos em grandes quantidades em interações de alta energia em matéria normal, em certos experimentos do acelerador de partículas com hádrons, ou naturalmente nas interações de raios cósmicos com a matéria. Essas interações costumam produzir mésons pi inicialmente, que na maioria das vezes decai para múons. 
xsd:nonNegativeInteger 179 
xsd:integer 52768 
xsd:nonNegativeInteger 12482 
xsd:integer 43917799 

data from the linked data cloud