Lince-ibérico

http://pt.dbpedia.org/resource/Lince-ibérico an entity of type: Thing

O lince-ibérico (nome científico: Lynx pardinus) é uma espécie de mamífero da família Felidae e género Lynx. Anteriormente considerado uma subespécie do lince-euroasiático (Lynx lynx), o lince-ibérico está agora classificado como espécie separada. Ambas as espécies percorriam juntas a Europa central durante o período Pleistoceno, separadas apenas por escolhas de habitat. Acredita-se que o lince-ibérico, assim como os outros linces, evoluiu a partir do Lynx issiodorensis.
Lince-ibérico 
xsd:integer 2007  2010  2014 
David Whyte Macdonald, Andrew J. Loveridge 
ICNF 
A. VARGAS, I. SA´NCHEZ, F. MARTI´NEZ, A. RIVAS, J. A. GODOY, E. ROLDA´N, M. A. SIMO´N, R. SERRA, Ma J. PE´REZ, C. ENSEN˜AT, M. DELIBES, M. AYMERICH, A. SLIWA & U. BREITENMOSER 
Lynx pardinus 
Iberian lynx: the uncertain future of a critically endangered cat 
The Zoological Society of London 
Oxford University Press 
BlackWell Publishing 
ICNF 
L. pardinus 
EN 
PDF 
Lynx 
Linces19.jpg 
xsd:decimal 9780199234455 
Filogenia inferida a partir de estudos citogenéticos e moleculares. 
Mapa distribuicao lynx pardinus 2003.png 
Mapa_distribuicao_lynx_pardinus_defasado.png 
Distribuição em 2003 
Distribuição em 1980 
Lince-ibérico 
xsd:integer 10  762 
iucn3.1 
font-size:85%;line-height:75%;width:300px; 
Biology and conservation of wild felids 
Livro Vermelho dos Vertebrados de Portugal 
Reintrodução do Lince ibérico em Portugal 
Relações filogenéticas do lince-ibérico. 
The Iberian lynx Lynx pardinus Conservation Breeding Program 
Plano Sectorial da Rede Natura 2000 - Lynx pardinus 
http://www.projectolynx.com/wp-content/uploads/2012/05/The-Iberian-lynx-Lynx-pardinus-Conservation-Breeding-Program.pdf 
pardella () 
EN 
iucn3.1 
pardella () 
pardella 
O lince-ibérico (nome científico: Lynx pardinus) é uma espécie de mamífero da família Felidae e género Lynx. Anteriormente considerado uma subespécie do lince-euroasiático (Lynx lynx), o lince-ibérico está agora classificado como espécie separada. Ambas as espécies percorriam juntas a Europa central durante o período Pleistoceno, separadas apenas por escolhas de habitat. Acredita-se que o lince-ibérico, assim como os outros linces, evoluiu a partir do Lynx issiodorensis. Apresenta muitas das características típicas dos linces, como orelhas peludas, pernas longas, cauda curta e um colar de pelo que se assemelha a uma barba. Ao contrário dos seus parentes mais próximos, o lince-ibérico tem uma cor castanho-amarelada com manchas. O comprimento da cabeça e do corpo é de 85 a 110 centímetros, com a pequena cauda a acrescentar um comprimento adicional de 12 a 30 centímetros. O macho é maior que a fêmea e podem pesar até cerca de 27 kg. A longevidade máxima na natureza é de treze anos. Endémico da Península Ibérica, no sul da Europa, o lince-ibérico é especialista na caça de coelhos, os quais representam 79,5% a 86,7% da sua dieta, com fraca capacidade de se adaptar a outro tipo de alimentação. Um macho necessita de um coelho por dia; uma fêmea grávida come três coelhos por dia. A queda acentuada das populações da sua principal fonte de alimento, em resultado de duas doenças, contribuiu para o declínio do felino. O lince também foi afectado pela perda de matagal, o seu habitat principal, pelo desenvolvimento humano, incluindo mudanças no uso do solo (como o mono-cultivo de árvores) e pela construção de barragens e estradas. Os atropelamentos com veículos são a principal causa de morte não-natural do lince-ibérico. O lince-ibérico foi uma espécie em perigo crítico até 2015, para agora ser considerada uma espécie em perigo. Ainda assim, é a espécie de felino mais ameaçada no mundo e o carnívoro em maior perigo na Europa. De acordo com o grupo de conservação SOS Lynx, se o lince-ibérico desaparecesse, seria a primeira espécie de felino a ficar extinta desde os tempos pré-históricos. Está categorizado como espécie em perigo por várias organizações, incluindo a União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN). A reprodução em cativeiro e os programas de reintrodução têm aumentado o seu número. Em 2013, a Andaluzia tinha uma população de 309 indivíduos em estado selvagem e em Dezembro de 2014 foram reintroduzidos os primeiros exemplares em Portugal, com previsões para mais reintroduções durante o primeiro semestre de 2015. Numa tentativa de salvar esta espécie da extinção, teve início o projecto Europeu de Vida Natural que inclui a preservação do habitat, monitorização da população do lince, e gestão das populações de coelho. 
xsd:nonNegativeInteger 178 
Lince-ibérico 
xsd:integer 120361 
xsd:nonNegativeInteger 58728 
xsd:integer 44890292 

data from the linked data cloud