João Ramalho

http://pt.dbpedia.org/resource/João_Ramalho an entity of type: Thing

João Ramalho (Vouzela, 1493 — São Paulo, 1580) foi um aventureiro, explorador português, que se internou pelo mato e confraternizou com o gentio.Filho de João Vieira Maldonado e Catarina Afonso de Balbode, sua chegada ao Brasil é cercada de mistérios, assim como o local exato de seu nascimento, também atribuído a Barcelos. Era casado em Portugal com Catarina Fernandes, a quem nunca mais viu depois da partida em 1512 em uma nau buscando a Ilha do Paraíso no Brasil. Naufragou na costa da futura capitania de São Vicente, hoje estado de São Paulo, por volta de 1513.
João Ramalho 
Catarina Fernandes 
João Ramalho 
João Ramalho 
Aventureiro e explorador 
João Ramalho (Vouzela, 1493 — São Paulo, 1580) foi um aventureiro, explorador português, que se internou pelo mato e confraternizou com o gentio. Filho de João Vieira Maldonado e Catarina Afonso de Balbode, sua chegada ao Brasil é cercada de mistérios, assim como o local exato de seu nascimento, também atribuído a Barcelos. Era casado em Portugal com Catarina Fernandes, a quem nunca mais viu depois da partida em 1512 em uma nau buscando a Ilha do Paraíso no Brasil. Naufragou na costa da futura capitania de São Vicente, hoje estado de São Paulo, por volta de 1513. Encontrado pela tribo dos Guaianases, adaptou-se à vida no Novo Mundo ganhando prestígio junto aos índios com quem vivia. Casou-se com a filha do cacique Tibiriçá, Bartira, batizada Isabel Dias. Do casamento realizado pelo padre Manuel da Nóbrega resultaram nove filhos, porém João teve filhos também com numerosíssimas índias, já que na cultura nativa havia grande liberdade sexual e, além do mais, Ramalho queria agradar os demais caciques e estabelecer vínculos, ao receber suas filhas. Seu comportamento desagradava aos padres jesuítas, que criticavam seus modos, tais como seu jeito bruto no trato com as pessoas, o andar nu, ter várias mulheres, costumes que desrespeitavam os preceitos cristãos, mas seu apoio foi fundamental para que Nóbrega e seus subordinados fossem aceitos pelos índios e pudessem fundar o colégio que daria origem à cidade de São Paulo, no Planalto de Piratininga. Com os filhos, estabeleceu postos no litoral para fazer comércio com europeus, vendendo índios prisioneiros para serem escravizados, construindo bergantins, reabastecendo os navios em trânsito e negociando o pau-brasil. Nas excursões pelo interior para capturar índios para serem vendidos como escravos, o filho de João Ramalho, mamelucos com metade de sangue indígena, comportavam-se com extrema crueldade. O reencontro com os portugueses foi surpreendente. Os portugueses esperavam uma batalha contra um grande número de índios, que caminhavam em direção a São Vicente. Em vez de uma batalha, receberam João Ramalho, que passou a usar de sua grande influência sobre a tribo para ajudar a seus conterrâneos. 
xsd:nonNegativeInteger 61 
João Ramalho 
xsd:integer 80017 
xsd:nonNegativeInteger 6326 
xsd:integer 43826526 

data from the linked data cloud