Império Parta

http://pt.dbpedia.org/resource/Império_Parta an entity of type: Thing

O Império Parta ou Parto (247 a.C.-224 d.C.), também conhecido como Império Arsácida (em persa: اشکانیان), foi uma das principais potências político-culturais iranianas da antiga Pérsia. O termo 'arsácida' vem de Ársaces I da Pártia que, como líder da tribo dos parnos (Parni), fundou a dinastia que levou seu nome em meados do século III a.C., após conquistar a Pártia, região do nordeste do Irã e, na altura, uma satrapia (província) que havia se revoltado contra o Império Selêucida. Mitrídates I da Pártia (reinou por volta de 171-138 a.C.) expandiu o império após capturar a Média e a Mesopotâmia dos selêucidas. Em seu ápice, o Império Parta se estendeu das margens setentrionais do Eufrates, no atual sudeste da Turquia, até o leste do Irã, e dominava a Rota da Seda, célebre rota comercial qu
Império Parta 
yes 
right 
xsd:integer 1974  1983  2005  2006  2007  2009 
Bivar, A.D.H. 
Garthwaite, Gene Ralph 
Katouzian, Homa 
Waters, Kenneth H. 
Maria Brosius 
Derafsh Kaviani flag of the late Sassanid Empire.svg 
The Political History of Iran Under the Arsacids 
The Reign of Trajan, part VII: Trajanic Wars and Frontiers. The Danube and the East 
Gondophares and the Indo-Parthians 
Ásia 
horizontal 
vertical 
Curtis, Vesta Sarkhosh e Sarah Stewart 
Temporini, Hildegard 
Yarshater, Ehsan 
Cambridge University Press 
Routledge 
Yale University Press 
Walter de Gruyter 
Blackwell Publishing, Ltd. 
I.B. Tauris & Co Ltd., in association with the London Middle East Institute at SOAS and the British Museum 
Peças de ouro partas encontradas em sítio funerário em Nínive 
left 
Guerra romano-parta de 58-63 
left/right/center 
ISBN 0-521-20092-X 
ISBN 0-415-32089-5 
ISBN 1-55786-860-3 
ISBN 978-0-300-12118-6 
ISBN 978-1-84511-406-0 
Línguas iranianas médias , aramaico 
Parthian gold funerary objects by Nickmard Khoey.jpg 
Roman-Parthian War 58-60.pt.svg 
Roman-Parthian War 61-63.pt.svg 
Parthian jewelry from Nineveh by Nickmard Khoey.jpg 
Extensão do Império Parta c. 
Berlim 
New Haven & Londres 
Londres e Nova York 
Oxford & Carlton 
Parthia 001ad-pt.svg 
Maria 
Império Parta / Arsácida 
Império Parta 
Império Selêucida 
xsd:integer 21  26  415 
Oriente Médio, Ásia Central e Ásia Ocidental 
Império Sassânida 
Brosius 
The Persians: An Introduction 
Cambridge History of Iran 
The Age of the Parthians: The Ideas of Iran 
The Persians 
The Persians: Ancient, Medieval, and Modern Iran 
Aufstieg und Niedergang der römischen Welt. Principat. II.2 
xsd:integer 31 
xsd:integer 126  174  300 
xsd:gYear 0224  0247 
Extensão do Império Parta c. 
O Império Parta ou Parto (247 a.C.-224 d.C.), também conhecido como Império Arsácida (em persa: اشکانیان), foi uma das principais potências político-culturais iranianas da antiga Pérsia. O termo 'arsácida' vem de Ársaces I da Pártia que, como líder da tribo dos parnos (Parni), fundou a dinastia que levou seu nome em meados do século III a.C., após conquistar a Pártia, região do nordeste do Irã e, na altura, uma satrapia (província) que havia se revoltado contra o Império Selêucida. Mitrídates I da Pártia (reinou por volta de 171-138 a.C.) expandiu o império após capturar a Média e a Mesopotâmia dos selêucidas. Em seu ápice, o Império Parta se estendeu das margens setentrionais do Eufrates, no atual sudeste da Turquia, até o leste do Irã, e dominava a Rota da Seda, célebre rota comercial que ligava o Império Romano e a bacia do Mediterrâneo ao Império Han, da China, e se tornou um importante entreposto comercial. Os partas adotaram a arte, a arquitetura, as crenças religiosas e as insígnias reais de seu próprio império culturalmente heterogêneo, que englobava culturas persas, helenísticas e regionais. Durante a primeira metade de sua existência, a corte arsácida adotou elementos da cultura grega, embora eventualmente tenha visto um renascimento gradual das tradições iranianas. Os governantes arsácidas recebiam o título de "grande rei", e consideravam-se herdeiros do Império Aquemênida, aceitando diversos monarcas locais como vassalos, em regiões nas quais os aquemênidas tinham o costume de indicar sátrapas. A corte ainda mantinha a prerrogativa de indicar diretamente um número pequeno de sátrapas, geralmente em províncias fora do Irã, porém estas satrapias eram menores e menos poderosas que os potentados aquemênidas. Com a expansão do poder arsácida, a sede do governo central foi deslocada de Nisa, no atual Turquemenistão, para Ctesifonte, às margens do Tigre, a sul da atual Bagdá, capital do Iraque - embora diversas outras cidades tenham servido como capital ao longo de sua história. Os primeiros inimigos dos partas foram os selêucidas, no ocidente, e os citas no oriente. À medida que o território da Pártia avançou para oeste, no entanto, eles passaram a travar conflitos com o reino da Armênia e, mais tarde, com a República Romana, já em sua fase final. Roma e Pártia eram rivais que visavam estabelecer reis na Armênia como seus clientes. Os partas infligiram uma derrota contundente sobre o general romano Marco Licínio Crasso na Batalha de Carras, em 53 a.C. Em 40-39 a.C. tropas partas conquistaram praticamente todo o Levante, com exceção de Tiro, das mãos dos romanos. Marco Antônio, no entanto, liderou um contra-ataque contra a Pártia, e diversos imperadores romanos invadiram a Mesopotâmia durante as guerras romano-partas. Os romanos conseguiram conquistar as cidades de Selêucia e Ctesifonte por diversas vezes durante estes conflitos, porém jamais conseguiram manter sobre elas um longo domínio. Guerras civis frequentes entre os pretendentes ao trono parte se revelaram mais perigosas que invasões externas, e o poder dos partas se esvaiu quando Artaxes I, soberano de Estachar, na província de Fars, se revoltou contra os arsácidas e assassinou seu último rei, Artabano IV, em 224 d.C. O reinado de Artaxes deu início ao Império Sassânida, que governou o Irã e boa parte do Oriente Médio até as conquistas islâmicas do século VII - embora a dinastia arsácida tenha tido sequência através da dinastia arsácida da Armênia. Fontes partas nativas, escritas em parta, grego e outros idiomas antigos, são escassas, especialmente se comparadas com fontes sassânidas e até mesmo aquemênidas, mais antigas. Além de algumas poucas tabuletas cuneiformes, fragmentos de óstracos, inscrições em pedra, moedas de dracmas e documentos em pergaminhos que sobreviveram de maneira fortuita, a maior parte da história parta é conhecida apenas através de fontes externas - que incluem obras da historiografia greco-romana, além de obras históricas chinesas motivadas pelo mercado existente para mercadorias chinesas na Pártia. O artesanato parta era visto pelos historiadores como uma fonte válida para a compreensão de determinados aspectos da sociedade e cultura local que não estariam presentes nas fontes textuais. 
xsd:nonNegativeInteger 669 
Império Parta 
Império Parta / Arsácida 
xsd:integer 553265 
xsd:nonNegativeInteger 100542 
xsd:integer 44911771 

data from the linked data cloud