Helena Ignez

http://pt.dbpedia.org/resource/Helena_Ignez an entity of type: Thing

Helena Ignez (Salvador, 23 de maio de 1942) é uma atriz brasileira.Helena nem imaginava ser atriz, quando, já em seu segundo ano do curso de Direito, assistiu a uma peça teatral e encantou-se com a atuação de um grupo de jovens atores. Vislumbrou, então, a possibilidade de dar novos rumos à sua vida. Para desespero de sua família, abandonou a faculdade e matriculou-se no curso de Arte Dramática da Universidade Federal da Bahia.
Helena Ignez 
xsd:integer 1966  1969 
Rossana Ghessa 
por A Falecida 
por Bebel, Garota Propaganda 
por Os Deuses e os Mortos 
por Bebel, Garota Propaganda 
Helena Ignez, em cena do filme O Padre e a Moça . 
Helena Ignes Padre Moca 002814-F01.jpg 
Helena Ignez 
xsd:integer 1966  1969 
xsd:integer 270 
por O Padre e a Moça 
por A Mulher de Todos 
Troféu Candango de Melhor Atriz 
xsd:integer 407235 
0407235 
Helena Ignez (Salvador, 23 de maio de 1942) é uma atriz brasileira. Helena nem imaginava ser atriz, quando, já em seu segundo ano do curso de Direito, assistiu a uma peça teatral e encantou-se com a atuação de um grupo de jovens atores. Vislumbrou, então, a possibilidade de dar novos rumos à sua vida. Para desespero de sua família, abandonou a faculdade e matriculou-se no curso de Arte Dramática da Universidade Federal da Bahia. Surgiu no teatro baiano em um momento extremamente vanguardista, de rompimento total com a parte mais provinciana do teatro brasileiro. Trabalhou com diversos mestres das artes cênicas, até mesmo com diretores da Broadway. Tudo isso representava uma grande inovação para a época e, logo em sua primeira aparição no cinema, ela foi dirigida por Glauber Rocha - que dispensa observações a respeito do quesito "vanguarda". Falar do Cinema Marginal sem falar de Helena Ignez seria o mesmo que ignorar a importância de Rogério Sganzerla ou Júlio Bressane no movimento. Helena Ignez é um ícone do Cinema Marginal tão importante quanto os demais pioneiros do movimento. Helena Ignez criou um novo estilo de atuar: debochado, extravagante, a violência feminina. Antes de A Mulher de Todos, possivelmente, não havia um outro filme que apresentasse com uma força tão grande a presença da mulher. 
Helena Ignez, em cena do filme O Padre e a Moça (1966). 
xsd:nonNegativeInteger 63 
Helena Ignez 
xsd:integer 521893 
xsd:nonNegativeInteger 9016 
xsd:integer 44145317 

data from the linked data cloud