Guerra da Independência de Moçambique

http://pt.dbpedia.org/resource/Guerra_da_Independência_de_Moçambique an entity of type: Thing

A Guerra da Independência de Moçambique, também conhecida (em Moçambique) como Luta Armada de Libertação Nacional, bem como Guerra Colonial Portuguesa foi um conflito armado entre as forças da guerrilha da FRELIMO (Frente de Libertação de Moçambique) e as Forças Armadas de Portugal. Oficialmente, a guerra teve início a 25 de Setembro de 1964, com um ataque ao posto administrativo de Chai no então distrito (actualmente província) de Cabo Delgado, e terminou com um cessar-fogo a 8 de Setembro de 1974, resultando numa independência negociada em 1975.
Guerra da Independência de Moçambique 
xsd:integer 3500 
xsd:integer 50000 
Cerca de 10000 combatentes mortos 
Guerra Colonial Portuguesa/Moçambique 
xsd:integer 20 
António Augusto dos Santos 
Kaúlza de Arriaga 
background:#99ccff; 
xsd:integer 25 
The Catholic Encyclopaedia 
Thomas 
AssaltonaMatadaSanga....jpg 
O Aérospatiale Alouette III, um dos muitos helicópteros que operaram em África. 
Kennedy 
Robert Appleton Company 
Cessar-fogo pós-Revolução dos Cravos, 
Moçambique consegue independência de Portugal 
Mozambique 
xsd:integer 10 
xsd:integer 1911 
xsd:integer 20 
Portugal 
xsd:integer 50000 
De 10000 à 15000 
Guerra de Independência de Moçambique 
3500mortos 
50000civis mortos 
Cerca de10000combatentes mortos 
20pxFRELIMO 
Portugal 
Cessar-fogo pós-Revolução dos Cravos, 
Moçambique consegue independência dePortugal 
50000(a17 de maiode1970) 
De10000à15000 
Parte da Guerra Colonial Portuguesa 
A Guerra da Independência de Moçambique, também conhecida (em Moçambique) como Luta Armada de Libertação Nacional, bem como Guerra Colonial Portuguesa foi um conflito armado entre as forças da guerrilha da FRELIMO (Frente de Libertação de Moçambique) e as Forças Armadas de Portugal. Oficialmente, a guerra teve início a 25 de Setembro de 1964, com um ataque ao posto administrativo de Chai no então distrito (actualmente província) de Cabo Delgado, e terminou com um cessar-fogo a 8 de Setembro de 1974, resultando numa independência negociada em 1975. Ao longo dos seus quatro séculos de presença em território africano, a primeira vez que Portugal teve que enfrentar guerras de independência, e forças de guerrilha, foi em 1961, na Guerra de Independência de Angola. Em Moçambique, o conflito começou em 1964, resultado da frustração e agitação entre os cidadãos moçambicanos, contra a forma de administração estrangeira, que defendia os interesses económicos portugueses na região. Muitos moçambicanos ressentiam-se das políticas portuguesas em relação aos nativos. Influenciados pelos movimentos de autodeterminação africanos do pós-guerra, muitos moçambicanos tornaram-se, progressivamente, nacionalistas e, de forma crescente, frustrados pelo contínuo servilismo da sua nação às regras exteriores. Por outro lado, aqueles moçambicanos mais cultos, e integrados no sistema social português implementado em Moçambique, em particular os que viviam nos centros urbanos, reagiram negativamente à vontade, cada vez maior, de independência. Os portugueses estabelecidos no território, que incluíam a maior parte das autoridades, responderam com um incremento da presença militar e com um aumento de projectos de desenvolvimento. Um exílio em massa de políticos da intelligentsia de Moçambique para países vizinhos providenciou-lhes um ambiente ideal no qual radicais moçambicanos podiam planear acções, e criar agitação política, no seu país de origem. A criação da organização de guerrilha moçambicana FRELIMO e o apoio da União Soviética, China e Cuba, por meio do fornecimento de armamento e de instrutores, levaram ao surgimento da violência que continuaria por mais uma década. Do ponto de vista militar, o contingente militar português foi sempre superior durante todo o conflito contra as forças de guerrilha. Embora em desvantagem, as forças da FRELIMO saíram vitoriosas, após a Revolução dos Cravos em Lisboa, a 25 de Abril de 1974, que acabou com o regime ditatorial em Portugal. Moçambique acabaria por obter a sua independência em 25 de Junho de 1975, após mais de 400 anos de presença portuguesa nesta região de África. De acordo com alguns historiadores da Revolução Portuguesa do 25 de Abril, este golpe de Estado militar foi impulsionado principalmente pelo esforço de guerra e impasses políticos nos diversos territórios ultramarinos de Portugal, pelo desgaste do regime então vigente e pela pressão internacional . 
xsd:nonNegativeInteger 371 
Guerra de Independência de Moçambique 
Parte daGuerra Colonial Portuguesa 
xsd:integer 178951 
xsd:nonNegativeInteger 82892 
xsd:integer 43769493 

data from the linked data cloud