Guerra Civil Angolana

http://pt.dbpedia.org/resource/Guerra_Civil_Angolana an entity of type: Thing

A Guerra Civil Angolana foi um conflito armado no país africano de Angola, que teve início em 1975 e continuou, com alguns intervalos, até 2002. A guerra começou imediatamente após Angola se tornar independente do domínio de Portugal, em novembro de 1975. Antes disso, um conflito de descolonização, a Guerra de Independência de Angola (1961-1974), tinha ocorrido. A guerra civil angolana foi essencialmente uma luta pelo poder entre dois antigos movimentos de libertação, o Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA) e a União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA). Ao mesmo tempo, a guerra serviu como um campo de batalha substituto durante a Guerra Fria e o forte envolvimento internacional, direta e indiretamente e por forças opostas, como União Soviética, Cuba, África do
Guerra Civil Angolana 
xsd:integer 20 
xsd:integer 54 
xsd:integer 2077 
xsd:integer 2300 
xsd:integer 15000 
Sem dados 
Fidel Castro 
José Eduardo dos Santos 
Agostinho Neto 
Arnaldo Ochoa 
Pieter Willem Botha 
Marais Viljoen 
Balthazar Johannes Vorster 
Holden Roberto 
Jonas Savimbi † 
Leopoldo Cintra 
Lúcio Lara 
xsd:integer 11 
Militantes da UNITA: *65000 Militantes da FNLA: *22000 *4000 – 7000 Tropas sul-africanas: *20000 
Tropas do MPLA: *40000 – 70000 *130000 Tropas cubanas: *35000 – 37000 *60000 Tropas soviéticas: *11000 
Building with Bullet-holes in Huambo, Angola.jpg 
xsd:integer 280 
Edifício com várias marcas de balas na cidade de Huambo 
Guerra Civil Angolana 
xsd:integer 500000 
Vitória do MPLA * Retirada de todas as forças estrangeiras em 1989 * Transição para um sistema político multipartidário em 1991/92 * A dissolução das forças armadas da FNLA * Participação da UNITA e FNLA como partidos políticos no novo sistema político, a partir de 1991/92, mas a guerra civil continuou * Jonas Savimbi morto em 2002 * Acordo de paz imediata e dissolução das forças armadas da UNITA em 2002 * Resistência do FLEC continuou para além de 2002 
Angola inteira 
xsd:integer 20 
UNITA 
Apoiado por: 
Congo-Brazzaville 
FLEC 
FNLA 
MPLA 
SWAPO 
15.000 mortos, feridos ou desaparecidos 
2077–10000mortos, 
20px1 morto 
2300mortos 
54 mortos 
Sem dados 
Apoiado por: 
(até 1989) 
(até 1991) 
20pxZaire(1974-75) 
Congo-Brazzaville 
FLEC 
FNLA 
MPLA 
SWAPO(até 1988) 
UNITA 
500 mil civis angolanos foram mortos 
* Resistência do FLEC continuou para além de 2002 
* A dissolução das forças armadas daFNLA 
*Jonas Savimbimorto em 2002 
Vitória doMPLA 
* Transição para um sistema político multipartidário em 1991/92 
* Retirada de todas as forças estrangeiras em 1989 
* Participação da UNITA e FNLA como partidos políticos no novo sistema político, a partir de 1991/92, mas a guerra civil continuou 
* Acordo de paz imediata e dissolução das forças armadas da UNITA em 2002 
entre movimentos nacionalistas, parte da Guerra Fria e da guerra de fronteira sul-africana 
A Guerra Civil Angolana foi um conflito armado no país africano de Angola, que teve início em 1975 e continuou, com alguns intervalos, até 2002. A guerra começou imediatamente após Angola se tornar independente do domínio de Portugal, em novembro de 1975. Antes disso, um conflito de descolonização, a Guerra de Independência de Angola (1961-1974), tinha ocorrido. A guerra civil angolana foi essencialmente uma luta pelo poder entre dois antigos movimentos de libertação, o Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA) e a União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA). Ao mesmo tempo, a guerra serviu como um campo de batalha substituto durante a Guerra Fria e o forte envolvimento internacional, direta e indiretamente e por forças opostas, como União Soviética, Cuba, África do Sul e Estados Unidos, foi uma característica importante do conflito. O MPLA e a UNITA tinham raízes diferentes no tecido social angolano e lideranças incompatíveis entre si, apesar de seu objetivo comum de acabar com a ocupação colonial portuguesa. Embora ambos tivessem tendências socialistas, os dois grupos se posicionavam como "marxista-leninista" e "anticomunista", respectivamente, para mobilizar apoio internacional. Um terceiro movimento, a Frente Nacional de Libertação de Angola (FNLA), lutou contra o MPLA junto com a UNITA durante a guerra pela independência e o conflito de descolonização, mas quase não teve um papel significativo na guerra civil. Além disso, a Frente de Libertação do Enclave de Cabinda (FLEC), uma associação de grupos militantes separatistas, lutava pela independência da província angolana de Cabinda. A guerra, que durou 27 anos, pode ser dividida basicamente em três períodos de grandes combates — 1975-1991, 1992-1994 e 1998-2002 — intercalados por frágeis períodos de paz. O MPLA conseguiu a vitória em 2002, mas ao custo de mais de 500 mil mortes e mais de um milhão de pessoas que foram obrigadas a se deslocar dentro do território do país. A guerra devastou infraestrutura de Angola e danificou seriamente a administração pública, os empreendimentos econômicos e as instituições religiosas da nação. A Guerra Civil Angolana foi notável, devido à combinação da violenta dinâmica interna de Angola e a maciça intervenção estrangeira. O conflito tornou-se uma batalha da Guerra Fria, visto que a União Soviética e os Estados Unidos, juntamente com seus respectivos aliados, prestaram assistência militar significativa para as partes envolvidas na guerra. Além disso, o conflito angolano teve impacto na Segunda Guerra do Congo, na vizinha República Democrática do Congo, bem como com na Guerra da Independência da Namíbia. 
xsd:nonNegativeInteger 103 
entre movimentos nacionalistas, parte daGuerra Friae daguerra de fronteira sul-africana 
xsd:integer 1347250 
xsd:nonNegativeInteger 19483 
xsd:integer 44971552 

data from the linked data cloud