Chemtou

http://pt.dbpedia.org/resource/Chemtou

Chemtou ou Chimtou (em árabe: شمتو) é um sítio arqueológico no noroeste da Tunísia onde se encontram as ruínas da antiga cidade de Simitthu (ou Simithu ou Simitthus), parte da província romana da África Proconsular.Em 2012, o governo da Tunísia propôs a inclusão de dois elementos do sítio para uma futura inclusão na lista do Património Mundial da UNESCO: a necrópole númida, como parte dos mausoléus reais da Numídia, da Mauritânia e monumentos funerários pré-islâmicos, bem como as antigas pedreiras de mármore númida.Simitthu é uma sé titular da Igreja Católica.
Chemtou 
xsd:integer 18 
xsd:integer 175 
Civilizações 
xsd:integer 3000000 
Deutsches Archäologisches Institut. www.dainst.org 
Chimtou, numidische Grabbauten unter römischem Forum.jpg 
xsd:integer 280 
xsd:integer 36 
xsd:integer 29 
xsd:integer 31 
Túmulos númidas encontrados debaixo do fórum romano de Chemtou 
pt 
de 
en 
xsd:integer
xsd:integer 34 
xsd:integer 34 
Plan site Chemtou, Tunisia.svg 
Tunísia 
Localização das ruínas de Chemtou no que é atualmente a Tunísia 
xsd:integer 180 
Planta das ruínas de Chemtou 
Chemtou 
LookLex.com 
www.bigalke-schmiedekunst.de 
Tore 
Uwe 
Próxima de 
Chemtou 
Chemtou — City of Marble Mountain 
Römische Turbinenmühlen in Chemtou und Testour 
Simitthus/ Chimtou, Tunesien 
Kjeilen 
Bigalke 
http://looklex.com/tunisia/chemtou.htm 
http://www.dainst.org/de/project/chimtou?ft=all 
http://www.bigalke-schmiedekunst.de/images/shop/turbine.htm 
http://www.bigalke-schmiedekunst.de/images/shop/RR%20chemtou%201.htm 
xsd:integer
Chemtou ou Chimtou (em árabe: شمتو) é um sítio arqueológico no noroeste da Tunísia onde se encontram as ruínas da antiga cidade de Simitthu (ou Simithu ou Simitthus), parte da província romana da África Proconsular. A povação foi fundada no século IV a.C. pelos Númidas, foi depois romanizada, tendo-se extinguido no século IX ou X. Situada a cerca de 20 km a oeste da cidade de Jendouba, perto da fronteira com a Argélia, encontra-se no cruzamento de duas rotas importantes: a que ligava Cartago a Hipona (atual Annaba) e que ligava Thabraca (atual Tabarka) a Sicca Veneria (atual El Kef). A cidade é conhecida principalmente pelas suas pedreiras, de onde era extraído mármore amarelo (marmor numidicum ou giallo antico), um dos mais preciosos do Império Romano. As ruínas representam um período de ocupação de 1 500 anos e ocupam mais de 80 hectares que não estão completamente escavados. A primeira escavação foi levada a cabo no final do século XIX. No final dos anos 1960 uma equipa tunisino-alemã realizou várias escavações, que puseram à vista alguns elementos da cidade e uma via que ligava a Thabraca e permitia encaminhar o mármore para o Mediterrâneo. Os vestígios encontrados são típicos das cidades romanas: templos, termas, aqueduto, anfiteatro, além de alojamentos para os operários das pedreiras, cujo número era superior a mil. Em 2012, o governo da Tunísia propôs a inclusão de dois elementos do sítio para uma futura inclusão na lista do Património Mundial da UNESCO: a necrópole númida, como parte dos mausoléus reais da Numídia, da Mauritânia e monumentos funerários pré-islâmicos, bem como as antigas pedreiras de mármore númida. Simitthu é uma sé titular da Igreja Católica. 
xsd:nonNegativeInteger 236 
xsd:integer 3756477 
xsd:nonNegativeInteger 45051 
xsd:integer 43638843 

data from the linked data cloud