Caio Cássio Longino Varo (cônsul em 73 a.C.)

http://pt.dbpedia.org/resource/Caio_Cássio_Longino_Varo_(cônsul_em_73_a.C.)

Caio Cássio Longino Varo (em latim, Gaius Cassius L.f. Longinus [Varus]) foi um cônsul e comandante romano, provável pai do assassino de Júlio César, Cássio Longino.De origem incerta,[carece de fontes] obteve o consulado em 73 a.C., com Marco Terêncio Varrão Lúculo como colega; esse ano ambos aprovaram a Lei Terência Cássia frumentar que ordenava ao Estado comprar alimento na Sicília para o vender a um preço razoável na capital. Como procônsul da Gália Cisalpina (72 a.C.) durante o levantamento de Espártaco tentou deter o trácio nas imediações de Mutina (Módena), mas caiu derrotado, salvando a sua vida por pouco.
Caio Cássio Longino Varo (cônsul em 73 a.C.) 
Caio Cássio Longino Varo (em latim, Gaius Cassius L.f. Longinus [Varus]) foi um cônsul e comandante romano, provável pai do assassino de Júlio César, Cássio Longino. De origem incerta,[carece de fontes] obteve o consulado em 73 a.C., com Marco Terêncio Varrão Lúculo como colega; esse ano ambos aprovaram a Lei Terência Cássia frumentar que ordenava ao Estado comprar alimento na Sicília para o vender a um preço razoável na capital. Como procônsul da Gália Cisalpina (72 a.C.) durante o levantamento de Espártaco tentou deter o trácio nas imediações de Mutina (Módena), mas caiu derrotado, salvando a sua vida por pouco. Em 70 a.C. compareceu como testemunha da acusação durante o juízo de Caio Verres, e em 66 a.C. apoiou a lex Manilia que concedia o comando do conflito contra Mitrídates do Ponto a Cneu Pompeu Magno; Cícero também apoiou esta lei mediante um discurso que ainda se conserva na atualidade. Suspeita-se que faleceu em 43 a.C.. O consular de nome Varus que foi banido e assassinado em Minturnae esse ano, pode ter sido Caio Cássio, pois não se conhece nenhum cônsul com este sobrenome 
xsd:nonNegativeInteger 37 
xsd:integer 3401718 
xsd:nonNegativeInteger 2787 
xsd:integer 44975743 

data from the linked data cloud