Buran

http://pt.dbpedia.org/resource/Buran

Buran, em russo Буран (nevasca), é o nome de uma série de onze ônibus espaciais (em Portugal, vaivém espacial) construídos pelo programa espacial da União Soviética, parte do denominado programa Buran-Energia.[fonte confiável?]Para a URSS, o projeto americano tinha a finalidade de portar armas nucleares,[carece de fontes] e contava com a capacidade única de poder fazer manobras no espaço, mudando o rumo e permitindo ataques imprevisíveis ao inimigo. Essa capacidade precisaria ser igualada pela União Soviética.[necessário esclarecer]
Buran 
Buran_on_An-225_%28Le_Bourget_1989%29_1.JPEG 
xsd:integer 300 
xsd:integer 20 
Destruído em 2002 
xsd:integer 15 
xsd:integer 15 
Buran acoplado num Antonov An-225 em Le Bourget, perto de Paris 
xsd:integer
xsd:integer
xsd:integer 101 
xsd:integer
<second> 10800.0 
xsd:integer
xsd:integer
Buran, em russo Буран (nevasca), é o nome de uma série de onze ônibus espaciais (em Portugal, vaivém espacial) construídos pelo programa espacial da União Soviética, parte do denominado programa Buran-Energia.[fonte confiável?] O primeiro desta série foi inicialmente denominado ônibus espacial 1.01, sendo a primeira nave espacial reutilizável soviética, ou VKK (Vosdushno Kosmicheski Korabl). A construção do ônibus espacial foi uma resposta ao projeto do Ônibus Espacial (Space Shuttle), da agência espacial dos Estados Unidos (Nasa), que concebeu os veículos espaciais reutilizáveis.[carece de fontes] Para a URSS, o projeto americano tinha a finalidade de portar armas nucleares,[carece de fontes] e contava com a capacidade única de poder fazer manobras no espaço, mudando o rumo e permitindo ataques imprevisíveis ao inimigo. Essa capacidade precisaria ser igualada pela União Soviética.[necessário esclarecer] Apesar do ceticismo em relação a concepção do veículo reutilizável pela indústria aeroespacial, o governo soviético autorizou a construção de um ônibus espacial em 1976.[carece de fontes] A construção do veículo só começou em 1980. Em julho de 1983 foi feito o primeiro teste, num voo suborbital. Nos anos seguintes foram feitos cinco voos com o modelo em escala do Buran. Em 1984 foram feitos os primeiros testes aerodinâmicos. O último teste aerodinâmico foi feito em abril de 1988, completando 24 voos de testes.[carece de fontes] O Buran só foi ao espaço duas vezes, no voo suborbital de julho de 1983, e no dia 15 de novembro de 1988. Ele foi impulsionado pelo poderoso foguete Energia, partindo do Cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão. O voo foi totalmente automático e sem astronauta, guiado por controle remoto e pelo sistema de computadores. O sistema de sustentação do ônibus espacial não foi testado, o que obrigou os engenheiros a realizarem um voo sem tripulação.[vago][carece de fontes] A duração da missão foi de 1 hora e meia, completando duas órbitas em torno da Terra[carece de fontes]. O veículo ficou a uma distância de 256 quilômetros da superfície terrestre. O curto voo foi o resultado da pouca capacidade de memória dos computadores do Buran. O software estava programado para controlar o lançamento, as atividades em órbita e o pouso. A limitação obrigou os engenheiros a programar o veículo espacial a realizar duas voltas em torno da Terra.[carece de fontes] Apesar do primeiro voo não ter sido tripulado, o desempenho da nave causou otimismo no programa espacial soviético. Das 38 mil placas protetores de calor que protegiam o Buran, somente 5 se desprenderam do veículo.[carece de fontes] Porém, o financiamento para o projeto espacial foi cortado. Apesar do projeto só ter sido cortado oficialmente em 1993 pelo presidente russo Boris Yeltsin, o trabalho para a construção dos veículos tinha sido paralisado bem antes dessa data. Outros veículos estavam em construção. O Ptichka (pássaro pequeno, em russo) foi programado para ser concluído em 1990. Um outro estava programado para ser concluído em 1992.[carece de fontes] 
xsd:nonNegativeInteger 59 
xsd:integer 53821 
xsd:nonNegativeInteger 6717 
xsd:integer 44614580 

data from the linked data cloud