Aurora polar

http://pt.dbpedia.org/resource/Aurora_polar

A aurora polar é um fenômeno óptico composto de um brilho observado nos céus noturnos nas regiões polares, em decorrência do impacto de partículas de vento solar com a alta atmosfera da Terra, canalizadas pelo campo magnético terrestre. Em latitudes do hemisfério norte é conhecida como aurora boreal (nome batizado por Galileu Galilei em 1619, em referência à deusa romana do amanhecer, Aurora, e Bóreas, deus grego, representante dos ventos nortes). Ocorre normalmente nas épocas de setembro a outubro e de março a abril. Em latitudes do hemisfério sul é conhecida como aurora austral, nome batizado por James Cook, uma referência direta ao fato de estar ao Sul.
Aurora polar 
xsd:integer 10 
xsd:integer 1980  1994 
David P. Stern 
Eather, Robert H. 
Ricardo Prado 
Savage, Candace Sherk 
Aurora 
xsd:integer 11  20 
American Geophysical Union 
Sierra Club Books / Firefly Books 
ISBN 0-87156-419-X 
ISBN 0-87590-215-4 
Sítio pessoal 
The Aurora in Science, History, and The Arts 
The Mysterious Northern Lights 
AURORA - O céu aparentemente em chamas 
Secrets of the Polar Aurora 
The Exploration of the Earth's Magnetosphere 
Aurora 
Majestic Lights 
aurora 
A aurora polar é um fenômeno óptico composto de um brilho observado nos céus noturnos nas regiões polares, em decorrência do impacto de partículas de vento solar com a alta atmosfera da Terra, canalizadas pelo campo magnético terrestre. Em latitudes do hemisfério norte é conhecida como aurora boreal (nome batizado por Galileu Galilei em 1619, em referência à deusa romana do amanhecer, Aurora, e Bóreas, deus grego, representante dos ventos nortes). Ocorre normalmente nas épocas de setembro a outubro e de março a abril. Em latitudes do hemisfério sul é conhecida como aurora austral, nome batizado por James Cook, uma referência direta ao fato de estar ao Sul. O fenômeno não é exclusivo somente à Terra, sendo também observável em outros planetas do sistema solar como Júpiter, Saturno, Marte e Vênus. Da mesma maneira, o fenômeno não é exclusivo da natureza, sendo também reproduzível artificialmente através de explosões nucleares ou em laboratório. 
xsd:nonNegativeInteger 271 
xsd:integer 210613 
xsd:nonNegativeInteger 30027 
xsd:integer 44916248 

data from the linked data cloud