António de Oliveira Salazar

http://pt.dbpedia.org/resource/António_de_Oliveira_Salazar an entity of type: Thing

António de Oliveira Salazar, Oliveira Salazar ou simplesmente Salazar (Vimieiro, Santa Comba Dão, 28 de abril de 1889 — Lisboa, 27 de julho de 1970) foi um estadista nacionalista português que, além de chefiar diversos ministérios, foi presidente do Conselho de Ministros e professor catedrático de Economia Politica, Ciência das Finanças e Economia Social da Universidade de Coimbra. Doutor Honoris causa, em 1940, pela Universidade de Oxford.
António de Oliveira Salazar 
xsd:integer
xsd:integer 14 
xsd:integer 1938  1943  1945  1946  1970  1998  1999  2010  2011  2013 
xsd:integer 1926  1928  1932  1939  1951  1961 
Antonio Salazar Signature.jpg 
Ninhos,Cláudia 
Dom Quixote 
Collins 
Hodder & Stoughton 
Temas e Debates 
Yad Vashem Publications 
Campion Books, Ltd. 
Hawthorn Books 
Macmillan Company 1st Edition 
xsd:integer
en 
Ingles 
File:Antonio Salazar-1.jpg 
xsd:decimal 9653083872 
xsd:decimal 9781121497245 
xsd:decimal 9789722040051 
xsd:decimal 9789896442217 
American University International Law Review 
en 
Lista de partidos políticos em Portugal 
Israel 
Londres 
Portugal 
NY 
xsd:integer 18 
Lisboa, Portugal 
Vimieiro, Santa Comba Dão, Reino de Portugal 
António de Oliveira Salazar 
xsd:integer
xsd:integer 185 
Centro Católico Português, depois União Nacional 
Portugal 
de 
Hugh 
Samuel 
Avraham 
Filipe Ribeiro 
Irene Flunser 
Joaquim da Costa 
Carlton J.H 
F. Clement C 
R.J. Stove 
Politico, Professor universitário 
Shoah Resource Center, The International School for Holocaust Studies 
xsd:integer 124  324  908 
harv 
Neutrality by Agreement: Portugal and the British Alliance in World War II 
xsd:integer 45 
Chefe de governo de 
Presidente de Portugal 
Portugal, Salazar, and the Jews 
Salazar , Biografia Política 
Salazar, Portugal e o Holocausto 
Portugal, the Consuls, and the Jewish Refugees, 1938-1941 
Ambassador on Special Mission 
Presidente do Ministério Presidente do Conselho de Ministros 
Salazar and Modern Portugal 
Salazar, Rebuilder of Portuga 
The Portugal of Salazar 
Wartime mission in Spain, 1942-1945 
Leite 
Pimentel 
Hayes 
Kay 
Meneses 
Milgram 
Derrick 
Egerton 
Hoare 
http://www.yadvashem.org/odot_pdf/Microsoft%20Word%20-%203230.pdf/ 
https://archive.org/details/portugalofsalaza011716mbp 
http://books.google.es/books/about/Ambassador_on_Special_Mission.html?id=w0vPAAAAMAAJ&redir_esc=y 
xsd:integer 14 
Chefe de governode 
Presidente de Portugal(Interino) 
António de Oliveira Salazar, Oliveira Salazar ou simplesmente Salazar (Vimieiro, Santa Comba Dão, 28 de abril de 1889 — Lisboa, 27 de julho de 1970) foi um estadista nacionalista português que, além de chefiar diversos ministérios, foi presidente do Conselho de Ministros e professor catedrático de Economia Politica, Ciência das Finanças e Economia Social da Universidade de Coimbra. Doutor Honoris causa, em 1940, pela Universidade de Oxford. Nascido no seio de uma família humilde de pequenos proprietários agrícolas,, o seu percurso no Estado português iniciou-se quando foi escolhido pelos militares para Ministro das Finanças durante um curto período de duas semanas, na sequência da Revolução de 28 de Maio de 1926. Foi substituído pelo comandante Filomeno da Câmara de Melo Cabral após o golpe do general Gomes da Costa. Posteriormente, foi de novo Ministro das Finanças entre 1928 e 1932, procedendo ao saneamento das finanças públicas portuguesas. Ficou também para a história como o estadista que mais tempo governou Portugal, desempenhando funções em ditadura entre 1932 e 1933, e de forma autoritária, desde o início da segunda república até ser destituído em 1968. Figura de destaque e promotor do Estado Novo (1933–1974) e da sua organização política, a União Nacional, Salazar dirigiu os destinos de Portugal como presidente do Ministério de forma ditatorial entre 1932 e 1933 e, como Presidente do Conselho de Ministros entre 1933 e 1968. Os autoritarismos e nacionalismos que surgiam na Europa foram uma fonte de inspiração para Salazar em duas frentes complementares: a da propaganda e a da repressão. Com a criação da Censura, da organização de tempos livres dos trabalhadores FNAT e da Mocidade Portuguesa, o Estado Novo procurava assegurar a doutrinação de largas massas da população portuguesa ao estilo do fascismo, enquanto que a sua polícia política (PVDE, posteriormente PIDE e mais tarde ainda DGS), em conjunto com a Legião Portuguesa, combatiam os opositores do regime que, eram julgados em tribunais especiais (Tribunais Militares Especiais e, posteriormente, Tribunais Plenários). Inspirado no fascismo e apoiando-se na doutrina social da Igreja Católica, Salazar orientou-se para um corporativismo de Estado, com uma linha de acção económica nacionalista assente no ideal da autarcia. Esse seu nacionalismo económico levou-o a tomar medidas de proteccionismo e isolacionismo de natureza fiscal, tarifária, alfandegária, para Portugal e suas colónias, que tiveram grandes impactos positivos e negativos durante todo o período em que exerceu funções. 
xsd:nonNegativeInteger 321 
António de Oliveira Salazar 
xsd:integer 26119 
xsd:nonNegativeInteger 75506 
xsd:integer 44931550 

data from the linked data cloud