A História do Declínio e Queda do Império Romano

http://pt.dbpedia.org/resource/A_História_do_Declínio_e_Queda_do_Império_Romano

A História do Declínio e Queda do Império Romano (no original em inglês The History of the Decline and Fall of the Roman Empire) é uma obra monumental de Edward Gibbon. É considerada um marco no campo da história e é frequentemente considerada a primeira obra "moderna" de história. Foi publicado em seis volumes. O primeiro volume foi publicado em 1776 e o último volume em 1788. Gibbon devotou grande parte da sua vida a esta obra.
A História do Declínio e Queda do Império Romano 
A História do Declínio e Queda do Império Romano (no original em inglês The History of the Decline and Fall of the Roman Empire) é uma obra monumental de Edward Gibbon. É considerada um marco no campo da história e é frequentemente considerada a primeira obra "moderna" de história. Foi publicado em seis volumes. O primeiro volume foi publicado em 1776 e o último volume em 1788. Gibbon devotou grande parte da sua vida a esta obra. Gibbon, como muitos historiadores antes do estabelecimento da ciência da arqueologia, dependia de fontes literárias. Ele recorreu muito raramente a fontes secundárias de historiadores ou literatos já falecidos, preferindo recorrer a contemporâneos ou quase-contemporâneos. Uma razão importante para que a obra de Gibbon tenha prevalecido no tempo foi o seu julgamento prudente e esclarecido quanto à fidelidade das fontes e ainda o seu esforço diligente na sistematização das afirmações de outros historiadores. Um livro que Gibbon certamente consultou foi Grandeur et décadence des Romains (seu título menos utilizado, por extenso: Considérations sur les causes de la grandeur des Romains et de leur décadence) por Montesquieu. A obra é considerada a primeira da história "moderna" porque procura explicações para eventos históricos em termos de sociedade, cultura e política, em vez de seguir uma lógica de um plano divino. Autores cristãos prévios quase sempre explicaram acontecimentos em termos religiosos e não procuraram as explicações "neste mundo". Gibbon manteve-se fiel a um cepticismo crítico e escreveu uma versão bem diferente da história. Após a sua publicação inicial, provocou uma considerável controvérsia. Não apenas rejeitou a atribuição do curso da história a um plano divino, mas também escreveu extensivamente sobre a cristandade no seu início, em termos que apesar de serem historicamente precisos e detalhados, nem sempre são favoráveis aos cristãos da antiguidade. 
xsd:nonNegativeInteger 55 
xsd:integer 7644 
xsd:nonNegativeInteger 7404 
xsd:integer 44108713 

data from the linked data cloud