JSON (com a pronúncia ['dʒejzən], J-son em inglês, (Jay-son)), um acrônimo para "JavaScript Object Notation", é um formato leve para intercâmbio de dados computacionais. JSON é um subconjunto da notação de objeto de JavaScript, mas seu uso não requer JavaScript exclusivamente. O formato JSON foi originalmente criado por Douglas Crockford e é descrito no . O media-type oficial do JSON é application/json e a extensão é .json.Em Dezembro de 2005, Yahoo! começou a suportar JSON como uma opção para alguns de seus serviços Web.

PropertyValue
dbpedia-owl:abstract
  • JSON (com a pronúncia ['dʒejzən], J-son em inglês, (Jay-son)), um acrônimo para "JavaScript Object Notation", é um formato leve para intercâmbio de dados computacionais. JSON é um subconjunto da notação de objeto de JavaScript, mas seu uso não requer JavaScript exclusivamente. O formato JSON foi originalmente criado por Douglas Crockford e é descrito no . O media-type oficial do JSON é application/json e a extensão é .json. A simplicidade de JSON tem resultado em seu uso difundido, especialmente como uma alternativa para XML em AJAX. Uma das vantagens reivindicadas de JSON sobre XML como um formato para intercâmbio de dados neste contexto, é o fato de ser muito mais fácil escrever um analisador JSON. Em JavaScript mesmo, JSON pode ser analisado trivialmente usando a função eval(). Isto foi importante para a aceitação de JSON dentro da comunidade AJAX devido a presença deste recurso de JavaScript em todos os navegadores web atuais. Na prática, os argumentos a respeito da facilidade de desenvolvimento e desempenho do analisador são raramente revelados devido aos interesses de segurança no uso de eval() e a crescente integração de processamento XML nos navegadores web modernos. Por esta razão JSON é tipicamente usado em ambientes onde o tamanho do fluxo de dados entre o cliente e o servidor é de supra importância (daí seu uso por Google, Yahoo, etc., os quais servem milhões de usuários), onde a fonte dos dados pode ser explicitamente confiável, e onde a perda dos recursos de processamento XSLT no lado cliente para manipulação de dados ou geração da interface, não é uma consideração. Enquanto JSON é frequentemente posicionado "em confronto" com XML, não é incomum ver tanto JSON como XML sendo usados na mesma aplicação. Por exemplo, uma aplicação no lado cliente a qual integra dados do Google Maps com dados atmosféricos através de SOAP, requer suporte para ambos formatos de dados. Existe um crescente suporte para JSON através do uso de pequenos pacotes de terceiros. A lista de linguagens suportadas incluem ActionScript, C/C++, C#, ColdFusion, Java, JavaScript, OCaml, Perl, PHP, ASP 3.0, Python, Rebol, Ruby, Lua, Progress, Go Lang. Em Dezembro de 2005, Yahoo! começou a suportar JSON como uma opção para alguns de seus serviços Web.
dbpedia-owl:thumbnail
dbpedia-owl:wikiPageExternalLink
dbpedia-owl:wikiPageWikiLink
dcterms:subject
rdfs:comment
  • JSON (com a pronúncia ['dʒejzən], J-son em inglês, (Jay-son)), um acrônimo para "JavaScript Object Notation", é um formato leve para intercâmbio de dados computacionais. JSON é um subconjunto da notação de objeto de JavaScript, mas seu uso não requer JavaScript exclusivamente. O formato JSON foi originalmente criado por Douglas Crockford e é descrito no . O media-type oficial do JSON é application/json e a extensão é .json.Em Dezembro de 2005, Yahoo! começou a suportar JSON como uma opção para alguns de seus serviços Web.
rdfs:label
  • JSON
foaf:depiction
owl:sameAs
is dbpedia-owl:wikiPageWikiLink of
is owl:sameAs of